Ovarense DV «vinga-se» na vitória esclarecedora sobre o Barreirense

Por em 04/05/2018

Depois da surpresa na primeira volta e da derrota no Barreiro, a Ovarense DV queria corrigir o erro da entrada relaxada frente ao Barreirense com os motores bem aquecidos ainda antes da primeira bola ao ar.

No sétimo jogo da segunda fase da Liga Placard, os vareiros sabiam que não podiam contar com o contributo do seu habitual timoneiro, Will Perry. No entanto, o coletivo soube sobressair da adversidade e, com muita raça vareira, foram esclarecedores desde o início no seu jogo interior, não dando grandes hipóteses de discussão do jogo ao adversário.

Também devido a contrariedades no capítulo físico do lado do Barreirense, os atletas vareiros (mesmo aqueles que ocupam habitualmente um papel secundário) souberam brilhar e foi com naturalidade que o resultado final se cifrou num esclarecedor 83-63.

Mas antes de revermos o bom momento que os ovarenses atravessam, vamos primeiro às constituições iniciais…

Nuno Manarte, técnico vareiro, dada a ausência de Perry, promoveu algumas alterações e lançou para campo Pedro Oliveira, Pedro Pinto, João Grosso, Jermel Kennedy e Cristóvão Cordeiro.

Já António Ferreira, treinador do Barreirense, com algumas condicionantes nas suas opções, compôs um cinco inicial com Alexandre Coelho, Sérgio Silva, Tiago Raimundo, Phillip Lawrence-Ricks e Miki Novovic.

Toda a primeira parte deste confronto teve uma tónica bem diferente do que fora o jogo no Barreiro. A Ovarense, num sentimento de urgência com o aproximar dos playoffs, entrou determinada a provar que a pálida imagem deixada no primeiro confronto não representava a capacidade da formação.

Enquanto os barreirenses tinham enormes dificuldades em competir na luta pelas tabelas, sobretudo depois da lesão de Novovic ainda no primeiro período, a formação vareira, apesar da menor eficácia no seu lançamento, estava a aproveitar e a rentabilizar da melhor forma todos os ressaltos ofensivos e turnovers que ia conquistando e provocando nos opositores.

A prova de que este estava a ser um excelente esforço colectivo, sobretudo no segundo período, era o facto de 3 jogadores do plantel vareiro já terem ultrapassado a barreira dos 10 pontos ainda antes do intervalo – e não eram os habituais «scorers» da equipa. Destaque para JP pelo seu jogo bem arredondado; para João Grosso pelo seu lançamento reencontrado; e, por fim, Ervin Mitchell com a sua persistência em furar as linhas defensivas.

O resultado desta primeira parte demolidora foi um parcial bem já desequilibrado de 51-30 a favor da Ovarense DV, equipa que acabou por gerir bem na segunda metade.

Regressadas do intervalo, as equipas diminuíram a sua cadência e a capacidade ofensiva de ambas começou a ficar afectada. Ainda assim, e apesar de novo contratempo para os forasteiros com a lesão de Carlos Sico que tinha entrado muito bem em jogo (chegou momentaneamente a perder a consciência), o Barreirense manteve o bom ritmo e conseguiu mesmo atingir a marca dos 8 pontos sem resposta.

No entanto, os vareiros, depois de alguns descontos técnicos e alguns reajustes, recuperaram a mesma energia da primeira metade e venceram o último período com os mesmos princípios do primeiro tempo, apesar de não tão convincentes.

Helder Ferreira foi o repórter da Rádio AVfm no local. Ouça as declarações dos técnicos:

  • Declarações Ovarense DV | Nuno Manarte:

 

  • Declarações FC Barreirense | António Ferreira:

 

As estatísticas finais da partida revelavam bem o maior esforço e a maior vantagem física sobre os visitantes no jogo interior. Expressão disso mesmo eram os 51 ressaltos contra 23 (22 dos 51 ofensivos), os 50 pontos conquistados na área restritiva, 21 pontos em contra-ataque rápido (contra apenas 7) e «cereja no topo do bolo» que foram os 43 pontos conquistados por jogadores a partir do banco (contra os 20 dos do Barreirense).

Já no capítulo individual, os mesmos 3 jogadores mantiveram o destaque para o lado da Ovarense. Quer JP (18 pontos, 15 ressaltos, 4 assistências, 2 roubos de bola e 2 desarmes de lançamento), quer Ervin Mitchell (23 pontos, 10 ressaltos e 3 roubos de bola) e também João Grosso (13 pontos e 14 ressaltos) foram os grandes destaques vareiros.

Do lado dos barreirenses, duplo destaque para Alexandre Coelho (19 pontos, 5 assistências e 2 roubos de bola) e para Lawrence-Ricks (20 pontos, em 72,7% de eficácia).

Depois desta excelente vitória sobre o Barreirense, a ODV voltou a confirmar o bom momento de forma no passado domingo, ao derrotar o Eléctrico FC no seu reduto pelo parcial de 79-88. Duas importantes vitórias que fizeram os pupilos de Manarte regressarem à primeira posição do grupo e lançarem-se claramente para a conquista dos lugares de acesso aos playoffs.

Lugar esse que a Ovarense terá já a oportunidade de confirmar no próximo jogo, na recepção do Terceira Basket, que ocupa o terceiro lugar do grupo e tem, neste jogo, uma última esperança de ainda garantir um bilhete para a próxima etapa da competição.

 


Fotos: Helder Ferreira 
Texto: Helder Ferreira
Áudio: Jaime Valente


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST