AD Ovarense: dar um passo atrás para depois dar dois em frente

Por em 29/05/2018

2017/18 vai ser lembrado como um ano muito complicado para a equipa senior masculina da AD Ovarense. No regresso à divisão principal da Associação de Futebol de Aveiro, os vareiros não conseguiram garantir a manutenção e, embora tenham estado na luta até à penúltima jornada do Campeonato Safina, terminaram a 33ª ronda lavados em lágrimas e com o futuro da descida selado.

Foi no Estádio Dr. Tavares da Silva, casa do CD Estarreja, que isso aconteceu. A Ovarense só podia vencer para manter o sonho da manutenção como uma realidade e precisava ainda de esperar um desaire do SC Paivense no seu confronto contra a JD Carregosense. No entanto, nada correu de feição, nem num resultado nem no outro.

Em Castelo de Paiva, o Paivense até esteve a perder graças a um golo de Tono Rebelo, mas foi a tempo de virar o resultado para 2-1 e fazer a festa da permanência perante os seus adeptos. E, em Estarreja, a Ovarense também não conseguiu ultrapassar o seu adversário e empatou 1-1 mesmo tendo feito uma exibição muito agradável.

O onze dos vareiros sofreu alterações de fundo, não só pelas ausências forçadas de Diogo Russo e João Paulo – ambos expulsos na jornada anterior – mas também pelo regresso de Alemão e Parreira às escolhas do ataque. Portanto, a Ovarense regressou ao seu antigo figurino de um trio da frente com um ponta de lança mais fixo e sem apostar na velocidade e tecnicismo de Artur Jr. (ausente dos convocados) e de Tigas (banco de suplentes).

No entanto, e em especial na segunda parte, o jogo dos vareiros foi pródigo em oportunidades junto da baliza de Nuno Dias. Mesmo que o golo tenha surgido cedo (Fred, 30 minutos), o empate do Estarreja na resposta trouxe a necessidade de uma etapa complementar de muita pressão ao último reduto dos estarrejenses.

A Ovarense fez pela vida e, principalmente após a entrada de Tigas (56 minutos), dominou as operações do encontro. O camisola 10 deu o mote aos 58′, na cobrança de um livre ao qual Nuno Dias correspondeu com uma parada vistosa. Essa foi apenas a primeira de muitas chances que se seguiram.

Nas mais flagrantes, nem Jonas de cabeça, aos 61′, nem Alemão com remates à ponta de lança, aos 78′ e 79′, foram capazes de quebrar o enguiço. Por sua vez, o Estarreja foi gerindo o marcador e mostrou-se satisfeito com a divisão de pontos.

Para além de Tigas, também Flecha e Renato Pereira foram chamados a jogo. As substituições trouxeram maior acutilância ao ataque da Ovarense, equipa que terminou a partida com uma linha ofensiva de três pontas de lança (Alemão, Renato Pereira e Jonas), dois extremos (Tigas e Flecha) e um jogador nos apoios (Fred). Mas nem com tanta presença na área do Estarreja o figurino se alterou.

No final da partida, Artur Marques deu a cara aos microfones da Rádio AVfm e, embora abalado pelo desfecho da temporada, respondeu às questões do repórter Pedro Silva:

  • Declarações AD Ovarense | Artur Marques:

 

A Ovarense despede-se do Campeonato Safina no próximo domingo, na receção ao SC Paivense. Um jogo que não mais servirá do que para oferecer a possibilidade aos vareiros de fecharem a temporada com uma vitória perante os seus adeptos.

Caso isso aconteça, a Ovarense terminará uma segunda volta de Campeonato Safina com 21 pontos somados, mais do dobro dos pontos alcançados na primeira metade da temporada. A primeira volta terá mesmo sido o calcanhar de Aquiles dos comandados de Artur Marques, fase onde só conseguiram 9 pontos, 2 vitórias e 3 empates em 17 jogos.

Outro dos fatores que poderá ter ajudado à descida de divisão terá sido a instabilidade do plantel ao longo de um ano cheio de entradas e saídas. A Ovarense teve dificuldades em encontrar um onze titular que se mantivesse semana após semana e, quando finalmente o fez, embora as vitórias tenham surgido com maior frequência, já não foi a tempo de «apanhar o comboio» da manutenção.

É certo que as arbitragens e a recente decisão do Conselho de Justiça que retirou um ponto aos vareiros não ajudaram na campanha da Ovarense. Isto, mesmo que, por muitas vezes, a direção e equipa técnica se tenham feito ouvir em críticas duras – e muitas delas justas – à Associação de Futebol de Aveiro.

No geral, esta é uma temporada que não deve ser esquecida e que servirá como aprendizagem para quando a Ovarense regressar ao Campeonato Safina. Sim, porque vai regressar, mais tarde ou mais cedo!

Nesta divisão, a competitividade não deixa que nenhuma equipa atinja os seus objetivos sem ter todos os fatores possíveis a seu favor. É uma pena que a Ovarense desça um patamar futebolistico, mas é um facto que nem tudo correu de feição nesta época que agora está a terminar.

Que fique a certeza: é um desfecho triste, que abala este clube histórico. Mas tudo depende da forma como se olha para as coisas. Porque este também pode ser um desfecho que faz a Ovarense dar um passo atrás para que, no futuro, possa dar dois passos em frente.

FICHA DE JOGO | CD Estarreja x AD Ovarense | Campeonato Safina – 33ª jornada

CD Estarreja: Nuno Dias (guarda-redes), Fazenda, Gustavo (cap.), João Pedro, João Pinho, Duarte Alves, Leandro Almeida (Gabriel, 88′), João Soares, Horto (Nuno Ramos, 65′), Fábio Novo (Kanito, 72′), Óscar Silva. Não utilizados: Afonso Vaz, Dani, André Ribas, Pedro Oliveira. Treinador: Bruno Magno Grave.

AD Ovarense: Samuel Biscaia (guarda-redes), Pablo, Jonas, Cocas, David Rocha, Fábio Pereira, Tiago Barroqueiro (cap.) (Renato Pereira, 86′), Fred, Parreira (Tigas, 56′), Wellington (Flecha, 65′), Alemão. Não utilizados: Nuno Crujeira, Dayo Femi, André Felix, Filipe Lírio. Treinador: Artur Marques.

Resultado final: 1-1
Resultado ao intervalo: 1-1
Marcadores: Fred (30′), Fábio Novo (34′).

 


Fotos: Pedro Silva
Texto: Pedro Silva
Áudio: Jaime Valente

 


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST