Ovar: cidade fez 34 anos

Por em 26/07/2018

As comemorações do 34º aniversário da elevação de Ovar a cidade tiveram início na véspera do feriado municipal, que assinala a efeméride.
No dia 24, pelas 22 horas, no Largo do Tribunal, decorreu um concerto inédito. Uma iniciativa da «União das Freguesias» do concelho, que reuniu a «Banda Filarmónica Ovarense» e a «Sociedade Musical Boa União» num espetáculo intitulado «Banda das Bandas». O concerto deliciou o muito público que se deslocou até ao centro da cidade.

 

 

As celebrações prosseguiram no dia 25 bem cedo. O dia começou na Praça Da República com o Hastear das Bandeiras e a Guarda de Honra das corporações dos bombeiros do concelho.

Pelas 10h, o Salão Nobre da «Câmara Municipal de Ovar» abriu portas para uma Sessão Solene, em que se procedeu à entrega das medalhas municipais, no âmbito do Regulamento de Distinções Honoríficas e foi feita uma homenagem aos agentes educativos aposentados, no ano letivo de 2017/2018.

O presidente da Câmara Municipal de Ovar abriu a sessão, proferindo algumas palavras.

 

Logo em seguida, o Presidente da Assembleia Municipal, Pedro Braga da Cruz também quis deixar algumas palavras antes de se prosseguir à entrega das medalhas e respetivas homenagens.

 

No ano em que se comemora o centésimo aniversário do seu nascimento, José Macedo Fragateiro foi o primeiro a ser homenageado, com a medalha de ouro do Município de Ovar a título póstumo. Quem a recebeu foi o seu filho, José Fragateiro. José Macedo Fragateiro teve uma vida bastante atribulada, desde prisões a humilhações, por defender os seus ideais de liberdade e democracia. A Ovar trouxe muito, tendo sido «presidente da Junta de Turismo do Furadouro, (…) candidato às eleições para a Assembleia Constituinte e para a Assembleia da República, deputado, vereador na Câmara Municipal de Ovar, professor e diretor».

 

Manuel Gomes de Oliveira, mais conhecido por Tionga, foi o segundo homenageado. Nascido em 1937 em Esmoriz, tem dedicado «muito da sua vida aos Bombeiros e ao Associativismo Humanitário». Foi aspirante, bombeiro de 3ª, 2ª e 1ª classe. Ainda conseguiu alcançar os cargos de adjunto do comando e comandante. Este último esteve nas suas mãos durante 21 anos. Pelos fundamentais serviços prestados não só aos Bombeiros mas também à comunidade, a Câmara Municipal concebeu-lhe a medalha de mérito Municipal ouro.

 

A homenagem que se seguiu foi a António Alberto Coutinho Salvador, mais conhecido por António da Vareirinha. Homem muito ligado à nossa tradição carnavalesca, ficará na história «como o mais carismático rei do Carnaval de Ovar e detentor de um dos reinados mais longos». Faleceu com apenas 45 anos, mas deixou a sua marca nesta que era a sua querida cidade. Esteve ainda envolvido no renascimento «de várias iniciativas culturais e desportivas de relevo no concelho». Uma vida intensa e apaixonada digna de uma medalha de mérito municipal ouro. Esta foi recebida pelo seu irmão, Manuel Salvador.

 

Joaquim Machado Costa Guimarães foi mais um dos grandes homenageados. É serralheiro e chefe honorário do agrupamento 549 de Ovar. Vindo de Guimarães, frequentou a antiga escola primária dos combatentes, onde se fardou «envergando o lenço de cor verde e branca».Com 84 anos, é um exemplo a seguir para os escuteiros, uma vez que «é nele que cada escuteiro vê um abrigo e valores como a honra, a lealdade, a integridade e o sentido de serviço». Joaquim Guimarães é digno da medalha de mérito municipal ouro. Em sua representação esteve o chefe do Agrupamento dos Escuteiros de Ovar, Luís Jorge dado que o homenageado não pôde estar presente por motivos de saúde.

 

Quem se seguiu foi Joaquim de Almeida e Pinho, nascido em 1942. Iniciou-se no mundo profissional como professor do ensino primário, em Estarreja, mas a sua escola durante toda a vida foi a Escola Oliveira Lopes, onde foi professor e diretor. Foi um cidadão vareiro ativo, participando em diversas associações locais como «a Associação Desportiva Ovarense, o lar paroquial de Santa Maria de Válega, o grupo desportivo de Guilhovai ou a Associação de Antigos Alunos da Escola Oliveira Lopes, que ajudou a instituir». Foi ainda escritor, autarca e cronista. A Câmara Municipal de Ovar destacou Joaquim de Almeida e Pinho com a medalha de mérito municipal prata.

 

Carlos Manuel Dos Santos Valente Baldaia, nascido em Ovar, em 1956 foi a primeira figura congratulada com a medalha de mérito municipal cobre. Carlos Baldaia possui o curso profissional de eletrotecnia da Força Aérea, mas hoje tornou-se num músico autodidata. Ligado também à literatura e teatro, criou alguns eventos de cariz cultural e desportivo. Revelando ainda um lado altruísta, é «voluntário na Santa Casa Da Misericórdia de Ovar, promovendo semanalmente animação musical aos utentes idosos».

 

A próxima medalha de mérito municipal prata foi, desta vez, atribuída a uma instituição: o «Esmoriz Ginásio Clube». Para celebrar o seu cinquentenário, a Câmara Municipal decidiu considerar «o inegável esforço na promoção do desporto em geral e do voleibol em particular». Esforço este que contribuiu para projetar a cidade de Esmoriz.

 

A segunda medalha de mérito municipal cobre foi atribuída à «Associação dos Emigrantes de Santa Maria de Válega», fundada em 1992. Esta associação foi criada por um grupo de imigrantes, cujo principal dinamizador foi Manuel Duarte. Os envolvidos foram «responsáveis pela colocação de uma estátua em bronze me hora aos imigrantes». Têm sido várias as iniciativas criadas por esta Associação, promovendo o convívio e muitos reencontros.

 

O «Agrupamento 1000 Maceda» do Corpo Nacional de Escutas também foi homenageado com a medalha de mérito municipal cobre. Este agrupamento possui 60 elementos e «proporciona ao longo do ano uma série de atividades físicas, afetivas, espirituais, intelectuais e sociais que se refletem ma educação e no bem-estar das crianças e jovens escuteiros».

 

A «Contacto» também não passou ao lado do nosso executivo. Com quase 35 anos de história «realizou e montou 67 produções teatrais, organizou 24 edições do festival de teatro de Ovar, 10 edições da festa de teatro para a infância, 12 edições da oficina de teatro Contacto, apresentou mais de 1000 espetáculos por todo o país, tendo participado em inúmeros festivais e mostras de teatro». Face a todo o prestígio desta companhia, a Contacto foi congratulada com a medalha de mérito municipal cobre.

 

A «Associação Recreativa e Carnavalesca de Ovar», «Escola de Samba Kan Kans», foi a última coletividade homenageada. Fundada em 1979 e sendo a primeira escola de samba a ser constituída no nosso concelho, deu «um grande contributo para que o Carnaval de Ovar viesse ocupar um lugar de destaque no contexto nacional». Posto isto, recebeu a medalha de mérito municipal cobre.

 

No fim desta Sessão Solene, foram entregues as medalhas pela prestação de bons serviços. Os homenageados foram Domingos Pereira, Joaquim Silva, Lúcia Valente, Arturo Gaspar, Hermínia Borges, Maria José Carriola e Daniela Ferreira.

Foram ainda homenageados os agentes educativos que se aposentaram neste ano letivo. Casos são Fernando Gonçalves e Maria Dos Anjos Louro.

 

 

Após o término da Sessão Solene, realizou-se a visita ao «Festival do Pão de Ló de Ovar», que estava a decorrer no Jardim do Cáster, numa organização da Associação de Produtores deste doce tão típico e característico do nosso município. Este Festival começou no dia 25 e apenas terminou dia 29 de julho.

Foto de «Câmara Municipal de Ovar»

Às 12h30, as comemorações passaram pela freguesia de Válega com a inauguração do edifício da sua Unidade de Saúde Familiar. Um acontecimento que contou com a atuação da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Ovar e com a presença de toda a equipa, desde médicos a enfermeiros e até antigos médicos. Compareceram ainda alguns representantes políticos e o pontífice da vila. Numa publicação feita pela «Junta de Freguesia de Válega», esta ressalva que «a antiga Unidade de Saúde Familiar Alpha de Válega estava instalada, parcialmente, em monoblocos e num edifício envelhecido, não reunindo as condições devidas e necessárias para o acolhimento humanizado e atendimento compatível com os modernos padrões do Serviço Nacional de Saúde». Esta celebração marcou, então, mais uma vitória para os Valeguenses, que há algum tempo esperavam por este feito.

 

 

 

O dia continuou e, pelas 15horas, realizou-se uma outra Sessão Solene, desta vez nas instalações da União das Freguesias de Ovar. Na mesma, foi feita mais uma homenagem a José Macedo Fragateiro.

Foto de «União das Freguesias de Ovar»

Foi ainda, durante a Sessão, atribuído um Voto de Louvor ao SubComissário Luís Manuel Gonzalez.

Foto de « União das Freguesias de Ovar»

 

 

Por volta das 16h30 teve início, no Mercado Municipal, a Marcha das Coletividades do nosso concelho. Foram cerca de 170 envolvidas, representando as áreas social, cultural, o carnaval, o desporto e a educação. O seu términus foi na Praça da República, onde se reuniram todas as agremiações envolvidas na marcha, assim como outros tantos que passaram para ver. O Presidente da Câmara proferiu algumas palavras de elogio ao trabalho desenvolvido pelas mesmas.

 

 

Estas comemorações terminaram com a Missa em honra do Padroeiro São Cristóvão, na Igreja Matriz de Ovar. Em simultâneo o Reverendo Padre Manuel Pires Bastos viu os 60 anos de sacerdócio relembrados pelo Bispo do Porto, D.Manuel Linda, que celebrou a eucaristia.

 

 

 

Deste modo, deram-se por terminadas as comemorações do 34º aniversário da elevação de Ovar a cidade. Foi um programa extenso mas bastante enriquecedor, que realçou a nossa cidade, a nossa ligação à cultura, ao Carnaval, ao desporto, à educação, à religião e até mesmo à gastronomia. Foi um dia que, com toda a certeza, ficará na história deste nosso município.

 


 

Texto: Catarina Santos
Áudio: Jaime Valente
Fotos:
António Dias

 


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST