Hospital da Feira enfrenta dificuldades nos serviços de alimentação

Por em 09/08/2017

O Hospital São Sebastião, em Santa Maria da Feira, está com dificuldades nos serviços de alimentação fornecidos aos doentes internados.

O problema está na falta de pessoal para garantir a total eficácia da distribuição das refeições, uma vez que não foram substituídos todos os trabalhadores que foram de férias ou estão de baixa médica.

A informação foi divulgada por um comunicado emitido pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Centro, e assinado pelo presidente da entidade, António Baião.

No entender do comunicado, tal acaba por ser especialmente gravoso uma vez que um cenário que contasse com todos os efetivos a trabalhar normalmente era «já de si reduzido para as necessidades do serviço».

A atenção tem recaído nos eventuais problemas relacionados com a higiene e segurança alimentar que podem advir deste contexto. Além disso, recentemente, os ritmos elevados de trabalho têm aumentado o número de pessoas a ir para a baixa.

Acresce ainda a falta de loiça suficiente e a substituição de outro material que está obsoleto.

«A falta de coordenação dos recursos humanos e da gestão da unidade, amplamente denunciada à administração da empresa [UNISELF], com a descrição dos factos e procedimentos errados da encarregada, é o fator ainda de maior perturbação, levando a que não existam condições de gestão e coordenação ao nível das diversas secções», refere ainda o documento.

Por entenderem que, após comunicação à concessionária UNISELF e ao conselho de administração do hospital, persiste a «ausência de medidas sérias que alterem a situação», o sindicato e os trabalhadores anunciaram um pré-aviso de greve. O mesmo ficará a aguardar até à próxima semana, na esperança de alterações no rumo dos acontecimentos.

 


Foto: Google Maps
Texto: Ricardo Marques


Opinião dos leitores
  1. maria queirös   Em   09/08/2017 pelas 19:20

    Verdade, mas não é só na alimentação, dar açucar e compotas p diabéticos, o pessoal se alguém os questiona respondem de forma agressiva atirando a responsabilidade para pessoal de enfermagem, a falta de higiene tb passa pela limpeza das enfermarias, enquanto os tarefeiros ou estagiários fazem o que podem ,os efetivos passeiam-se nos corredores á conversa e ás gargalhadas como se estivessem no recreio.Quando se toca á campainha fazem ouvidos moucos…Mas há muito mais…A formação desta gente é muito importante.

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST