Vareiros saem molhados no torrencial de golos de Joca

Por em 26/09/2017

Na reedição de um verdadeiro clássico aveirense, um União de Lamas – Ovarense tem sempre um sabor especial. Anos vão desde o tempo em que lamacenses e vareiros jogavam por objetivos superiores e em divisões mais exigentes. Atualmente no Campeonato Safina, o Comendador Henrique Amorim recebeu os dois conjuntos para a 2ª jornada da competição.

O arranque de temporada em falso para ambos os conjuntos trazia uma necessidade de vitória para os dois lados. E, separados por apenas 1 ponto na classificação (a ADO perdeu na estreia, o Lamas empatou em Castelo de Paiva), este seria um jogo ofensivo e com duas equipas com a baliza como mira.

Efetivamente, desde o primeiro silvo do apito de Joel Sousa, o rumo do marcador alterou-se por diversas vezes. Uma autêntica chuva de golos que só podia premiar os mais agasalhados em termos defensivos, algo que não aconteceu com a Ovarense. O acumular de erros e faltas de concentração levou os comandados de Artur Marques a uma primeira parte desastrosa onde sofreram 4 golos e a um resultado final de 5-2 a favor dos da casa.

Fonte: Facebook – Clube Futebol União de Lamas FF

Um domingo para esquecer e que começou com algumas surpresas no onze alvinegro. Desde logo na baliza, onde Daniel Cruz rendeu Samuel Biscaia; a defesa manteve-se e Parreira, Jonas, Fábio Pereira e Cocas foram o quarteto escolhido; no miolo, o ex-Esmoriz, Diogo Russo, rendeu André Felix na posição de médio mais recuado e teve a companhia de João Paulo e Fred; e, no ataque, houve outra novidade chamada Renato, avançado diferente de Alemão e que teve Marmelo e Tigas a apoiá-lo a partir das alas.

Não se pode falar de um mau início da Ovarense que entrou em campo a dividir a partida com o 2ª classificado do campeonato da época passada. Sem o poderio físico de Alemão na frente de ataque, a abordagem da ADO parecia menos direta do que o habitual e a primeira fase de construção passava sobretudo por Russo, homem que despoletava a maioria das jogadas em posse.

Só que, aos 6 minutos de jogo, o sector defensivo vareiro deu o primeiro tiro no pé. Na primeira vez que o União de Lamas mostrou as garras, o médio Óscar Beirão protagonizou um cabeceamento certeiro após canto na esquerda. O golo foi extremamente facilitado pela ausência de oposição à abordagem de Beirão e esta seria apenas a primeira falha da Ovarense em 45 minutos de total desacerto na sua baliza.

A resposta foi positiva e a ADO fez pela vida para regressar ao encontro. Galvanizados pelos inexcedíveis Fans 1921, a equipa teve cerca de 15 minutos de alto rendimento e, nesse período, fez o mais difícil perante um Lamas que parecia querer congelar o resultado e colher frutos da impaciência da Ovarense: o golo. E que golaço!

Fonte: Facebook – Clube Futebol União de Lamas FF

Lançado na profundidade por Parreira, Tigas foi mais rápido que os centrais lamacenses e apareceu na cara de Justo. Com a bola a mercê, o craque vareiro aplicou um pontapé de classe que resultou num chapéu perfeito e no golo da tarde. 12 minutos de jogo, estava feito o 1-1.

Mas, macia como estava, a defesa da Ovarense não correspondia à exigência do encontro. O flanco esquerdo do Lamas carburava com o duo Tiago Ribeiro e Tintim. Aos 18′, ganhando metros pela esquerda e aproveitando a subida no terreno dos alvinegros, Ribeiro cruzou direitinho para o coração da área e para a testa de Joca, frio e oportunista, no remate sem hipóteses para Dani Cruz. O show Joca não terminaria e o negrume da Ovarense estava prestes a adensar-se.

À meia-hora, novamente pela esquerda, um erro de Jonas que pensou ter um lance controlado e não viu Tintim a aparecer na sua sombra, iria iniciar o terceiro dos da casa. Vendo-se com a bola, Tintim não teve dificuldade em colocar rasteiro no corredor central e o seu Capitão Haddock, Joca, só teve de fazer outro golo fácil. Ao estilo das aventuras de Hergé, “raios e coriscos!” era o que provavelmente gritavam todos os adeptos da Ovarense.

O intervalo nunca mais chegava e Joca ia mesmo fazer um dos hat-tricks mais rápidos da sua carreira. Aos 41′, novo cruzamento, agora da direita e efetuado por Faria, e novamente Joca a atirar para o fundo das redes. Mais um tento para o 89, o terceiro carecendo de marcação individual.

De cabelos em pé, Artur Marques lançou David para a etapa complementar. O canhoto foi para o flanco esquerdo da defesa e rendeu o central Pereira. Por sua vez, Cocas deambulou para o meio e ajudou Jonas nas tarefas de central.

A Ovarense corria contra o relógio e a sua instabilidade não ajudou à receita. O quarteto defensivo não estabilizou e o meio-campo vareiro era uma sombra de si mesmo: João Paulo era guerreiro mas não chegava para as encomendas, Fred e Russo estiveram muito abaixo do que já conseguiram fazer nos campos do distrito. Suspirava-se pelo capitão Tiago Barroqueiro, a contas com uma lesão.

Aos 55′, uma falta desnecessária sobre Joca à entrada da área ofereceu uma oportunidade para o ponta de lança chegar ao póquer. Na cobrança da bola parada, o brasileiro não se fez rogado e aproveitou uma nesga na barreira para marcar o quinto do Lamas. Uma tarde memorável para o homem que já tinha feito 29 golos no Campeonato Safina de 2016/17.

Fonte: Facebook – Clube Futebol União de Lamas FF

Jogando pela honra, a Ovarense ainda iria reduzir aos 65′, através de uma grande penalidade. Tigas assumiu a marcação e atirou de forma irrepreensível. Bis para o extremo alvinegro e um prémio individual para o elo mais forte em campo do lado dos vareiros.

Já com Alemão e Filipe Lírio em campo, foram raras as vezes em que a Ovarense voltou a importunar o guarda-redes Justo. Por sua vez, o União de Lamas ainda esteve perto de chegar à meia dúzia nos últimos 20 minutos de jogo. Manu, que entrara aos 69′, veio cheio de vontade e quase atirava a contar por duas ocasiões.

O nevoeiro, a chuva e o desinteresse instalavam-se no estádio e o jogo chegava ao fim sem mais nenhuma mudança no placard. Nas bancadas, ainda houve espaço a confrontos e trocas de palavras entre adeptos, tudo sanado à hora do apito final.

Ouça as declarações dos técnicos ao repórter da AVfm, Pedro Silva:

Artur Marques – Treinador da Ovarense

José Veríssimo – Treinador do União de Lamas

A justiça no resultado não deixa margem para dúvidas. Uma pena para as cores de Ovar pois a ADO parecia ter argumentos para discutir o jogo caso se apresentasse mais focada e ciente das suas debilidades. Ainda assim, o 5-2 não tem contestação e podia até ter sido pior pois, na verdade, Joca e companhia limitada foram demais para alguns dos jogadores da Ovarense.

O alarme soa para os lados do Marques da Silva e Artur Marques terá certamente tirado ilações destes 90 minutos de pesadelo. No comboio do Campeonato Safina não há bilhete para todos e este plantel terá de se adaptar à exigência da elite do futebol distrital de Aveiro. De preferência já na próxima jornada, onde a Ovarense irá receber o super Lusitânia de Lourosa, equipa com um orçamento milionário para estas andanças.

 


Foto: Facebook – Clube Futebol União de Lamas FF
Texto: Pedro Silva


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST