XVII ComCordas reuniu várias artes num só palco

Por em 13/11/2017

O Centro de Arte de Ovar recebeu mais uma edição do «Encontro Musical de Cordas de Esmoriz». Quase a atingir a maioridade, o «ComCordas» subiu ao palco pela 17ª. vez. Este é, talvez, o momento mais alto que marca, ano após ano, o trabalho abnegado da «Orquestra de Bandolins de Esmoriz» na defesa, promoção e uso de um dos mais nobres cordofones que existem.
Algumas vezes confundido com o cavaquinho, o bandolim tem um som único e a particularidade de ter cordas duplas que, aliadas a uma técnica de manuseamento com muitas vibrações provocadas pelos seus executantes; lhe confere um lugar especial na memória auditiva daqueles que já o puderam ouvir (bem) tocado.

Logo no arranque, a edição 2017 do «ComCordas» mostrou-se diferente. A habitual voz off foi substituída de forma inteligente pela apresentação do Professor Jorge Castro Ribeiro. Musicólogo, investigador e homem do meio académico, foi ele o responsável pela elaboração da candidatura do nosso «Cantar dos Reis» (tradição onde o bandolim marca presença) a património imaterial. Conduziu o público numa viagem em que emprestou muito do seu saber, contribuindo de forma concreta para uma melhor compreensão de tudo o que se passou em palco.

Os convidados seriam os primeiros a subir ao palco. «Ensemble Liuto Cantabile» foi a formação escolhida pelos anfitriões da noite para o início do espetáculo, dando a conhecer aos presentes música antiga e fresca; interpretada em instrumentos antigos ou réplicas, que cativaram pela sua singularidade.

Basta clicar no player abaixo para ouvir a performance dos «Ensemble Liuto Cantabile»:

 

Seguir-se-ia o concerto da «Orquestra de Bandolins de Esmoriz». O espetáculo, tal como anunciado com orgulho pelo grupo, seria a apresentação integral do terceiro CD «ComTrastes». O trabalho inclui temas clássicos, músicas mais ligeiras, alguns originais e até uma versão de «Amar pelos dois», a canção de Luísa Sobral que o seu irmão tornou vencedora do Eurofestival.
Começaram então a surgir as novidades desta edição do «ComCordas». Desde a literatura até à dança, com passagem pela fotografia; de tudo um pouco a «Orquestra de Bandolins de Esmoriz» fez uso para apresentar uma perfomance rica, moderna e cativante.
No que diz respeito à música, a introdução da voz, de instrumentos de sopro e o convite a vários solistas resultou também em pleno!

O Concerto da «Orquestra de Bandolins de Esmoriz» pode ser ouvido no player abaixo:

 

No final, o Maestro Luis Sá, que lidera um grupo heterogéneo de interpretes amadores do qual fazem parte várias gerações, não escondia a sua emoção e contentamento pelos fortes aplausos vindos da plateia.
Estava assim cumprida a apresentação ao vivo do CD «Comtrastes», edição limitada que recomendamos vivamente e que pode ser adquirida por contato direto com a Orquestra, seja presencialmente ou através das redes sociais.

A «Orquestra de Bandolins de Esmoriz» espera agora poder receber convites para apresentar este repertório noutros palcos, podendo levar o som dos bandolins até outras paragens; que não necessariamente distantes.

Veja a fotogaleria do XVII «ComCordas»:

 


Fotos: António Dias
Áudio: Jaime Valente
Texto: Jaime Valente

Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST