«CONTACTO» estreou «A Salvação de Lutero» no fecho do «Festovar»

Por em 28/11/2017

Sete semanas e doze espetáculos depois, o 24º. Festival de Teatro de Ovar chegou ao fim. Termina o ciclo do «Festovar» e inicia-se um novo, com mais uma produção da «Contacto». Como vem sendo hábito, a companhia vareira deixou a surpresa para o fim: mais uma vez fez coincidir o cair do pano do Festival com o desvendar de uma nova peça!

«A Salvação de Lutero» é, assim, a mais recente criação da «Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar». Como tão bem sabe fazer, esta é mais uma produção feita com base num valor que a companhia tem vindo a acumular ao longo dos anos: a sua equipa. O texto, que bebe ao mesmo tempo da história e da ficção é de Maria Teresa Leite. A encenação esteve a cargo de Manuel Ramos Costa, que é também o Presidente da Direção da Coletividade. E o elenco é a prata da casa, com elementos mais experientes a ceder espaço e protagonismo a jovens atores. São treze no total, começando o palco da «Casa da Contacto» a ser pequeno (e baixo) para tanto talento!

O tema é de alguma forma arriscado. Nem sempre se ousa colocar em palco a religião, mesmo que se esteja a basear o trabalho em factos históricos indesmentíveis do Século XVI. A «Contacto» aproveitou a deixa de se comemorarem 500 anos sobre a afixação das 95 Teses de Martinho Lutero na porta da igreja de Wittenberg para lançar um texto já pronto há algum tempo. Martinho Lutero foi um dos grandes reformadores da Igreja Católica e precursor do movimento da Reforma Protestante. Pregava a paz mas nem sempre foi esse o resultado da sua intervenção junto dos camponeses. A peça mostra tudo isso. Leva-nos a questionar as forças da doutrina e o valor do dinheiro. A justiça do perdão e as movimentações sociais, resumidas em interesses opostos e conflituosos…

No ano em que o «Festovar» se subordinou ao tema «Teatro na era digital» o auditório da companhia sofreu algumas melhorias e viu a introdução de alguns novos equipamentos aumentar as possibilidades de efeitos em cena. Fernando Rodrigues, Diretor do Festival e Presidente da Assembleia Geral da Coletividade reforça essa aposta como algo propositado, que possibilita «aumentar o alcance das mensagens que se pretendem passar».

A estreia decorreu com o auditório esgotado e com o apoio inequívoco da Câmara Municipal de Ovar e da União das Freguesias de Ovar, que se fizeram representar por Alexandre Rosas e Nuno Pinto, respetivamente.

Jaime Valente foi o repórter de serviço da AVfm. No final, recolheu os seguintes depoimentos:

  • Manuel Ramos Costa – Encenador de «A Salvação de Lutero»

 

  • Fernando Rodrigues – Diretor do «Festovar»

 

A peça que acabou de estrear estará em cena durante mais dois Sábados na «Casa da Contacto», possibilitando que o público vareiro possa assistir à mesma, pois a sala tem apenas capacidade para cerca de 100 pessoas e esgotou rapidamente. Assim, nos próximos Sábados, dias 2 e 9 de Dezembro, pelas 21h45 haverá reposições de «A Salvação de Lutero», trabalho que segue a par com «Medeia» e tantas outras para a atividade de itinerância que a «Contacto» mantém ao longo de todo o ano.

Folgamos ainda em saber que a próxima edição do «Festovar», o mais antigo Festival de Teatro do nosso Concelho, estará de regresso em 2018!

Veja a fotogaleria de «A Salvação de Lutero»:

 


Fotos: Jaime Valente
Texto: Jaime Valente
Áudio: Jaime Valente

Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST