Mi-Fá-Dó-Sol | 05 Fev 2020

Carlos Reis e Dino Marques

 

Programa: Mi-Fá-Dó-Sol

De:  Carlos Reis e Dino Marques

Emissão: 05 Fev 2020

Descrição: Programa inteiramente dedicado ao Fado. Realizado por intérpretes do género musical, Mi-Fá-Dó-Sol foca-se na divulgação de artistas e eventos, sem deixar de lado a história e as curiosidades de tão importante património português!

Destaque: Joana Amendoeira

Em 2006 é editado o disco “À Flor da Pele” que teve edição mundial pela label Le Chant du Monde/Harmonia Mundi e “retrata um envolvimento intenso e cheio de verdade” com Pedro Amendoeira na guitarra portuguesa, Pedro Pinhal na viola de fado e Paulo Paz no contrabaixo e baixo acústico, a fadista ampliou a longa lista de espetáculos, com tournées pela Europa, desde a Amesterdão, ao Royal Opera House  (Londres), o Teatrum Millenáris Park  (Budapeste) ou o Queen Elizabeth  (Londres).
Ainda na Hungria foi convidada no concerto de Comemoração dos 40 anos de carreira do cantor húngaro Zorán, que decorreu na Papp László Budapest.

No Auditório Municipal de Portimão dirigido pelo maestro Cesário Costa, no mês de Novembro de 2007, Joana Amendoeira, protagoniza um concerto único com a Orquestra do Algarve numa junção de fado com a música clássica, acompanhada por Pedro Amendoeira (guitarra portuguesa), Pedro Pinhal (viola de fado), Paulo Paz (contrabaixo) e Filipe Raposo (acordeão) juntos encontraram-se numa reflexão em redor do repertório da fadista para uma atuação com a Orquestra do Algarve. O resultado foi um dos espetáculos mais emblemáticos da carreira da artista surgindo a ideia de criar um ensemble para se juntar à voz de Joana Amendoeira e ao seu quarteto, formando assim um espetáculo com arranjos de João Godinho, que viria a estrear na Praça de Armas do Castelo de São Jorge, em Lisboa, no âmbito da 5.ª edição da Festa do Fado, realizada no dia 21 de Junho de 2008.

Em 2008, surge o sexto disco da fadista Joana Amendoeira & Mar Ensemble, desta vez gravado e filmado para se tornar num disco ao vivo. Em Março de 2009, a Fundação Amália Rodrigues atribui ao álbum o prémio de “Melhor Disco de Fado de 2008”.
O “Mar Ensemble”, com a direção de Paulo Moreira (violoncelo), contou com a presença de António Barbosa (primeiro violino), Paula Pestana (segundo violino), Ricardo Mateus (viola d’arco), Maria Rosa (flauta), Rui Travasso (clarinete), Carlos Alberto (trompete) e João Carlos (trompa). Filipe Raposo juntou o seu acordeão ao trio de fado que desde sempre tem vindo a acompanhar a fadista pelos quatro cantos do mundo.
Após o lançamento do disco, seguiram-se os concertos em salas prestigiadas do circuito da world music: Bélgica, Egito, Estónia, França, Grécia, Holanda, Itália, Lituânia e Índia.

“Sétimo Fado”, o seu sétimo disco, surge em 2010 e combina o fado tradicional com novas composições, arranjos para acordeão, piano, percussão e violoncelo. Apresentou-o com grande sucesso no Coliseu do Porto, no Grande Auditório do CCB e em diversas salas pelo mundo.
Ao longo dos anos, Joana Amendoeira tem sido presença assídua em algumas das principais Casas de Fado em Lisboa. É aqui que partilha os ensinamentos dos fadistas mais antigos e grandes mestres músicos. Todos lhe reconhecem a voz especial, a postura, o talento. É neste contexto que, em 2012, grava “Amor mais perfeito – Tributo a José Fontes Rocha”, um disco integralmente dedicado ao seu mestre, um dos grandes compositores e instrumentistas da guitarra portuguesa.
Seguem-se dois anos de digressão, nacional e internacional, passando por Espanha, Itália, Bélgica, França, Suécia, Reino Unido, Hungria, Lituânia, Japão, Coreia do Sul, Brasil, Argentina, Índia, Brasil, entre tantos outros.

Em 2013, participa, em Cabo Verde, no Kriol Jazz Festival, cantando ao lado de Nancy Vieira, juntando o fado e a morna – um concerto memorável que recriam, em 2015, no Théatre de la Ville em Paris.
Joana Amendoeira participa em 2014 no projeto discográfico infantil de autoria de Rodrigo Costa Félix, “Brincar aos Fados”, ao lado de outros grandes nomes do Fado como Celeste Rodrigues, Camané, Cristina Branco, Ricardo Ribeiro, entre outros, com letras de Tiago Torres da Silva para músicas de fado tradicional.
Na sequência da digressão de “Amor mais perfeito, que a levou a inúmeros palcos europeus e não só, entre 2012 e 2015, Joana Amendoeira trabalha no seu nono disco de originais, com o título “Muito Depois”, que conta com a direção e produção do letrista Tiago Torres da Silva, e a participação de fantásticos músicos como Pedro Amendoeira (Guitarra Portuguesa), Rogério Ferreira (Viola da Fado), António Quintino (Contrabaixo), Filipe Raposo (Piano), Pedro Joia (Guitarra Clássica) e Paulo de Carvalho (Voz), que foi editado em Outubro de 2015.

Joana Amendoeira é aquela fadista que tem orgulho em defender a essência mais tradicional do Fado, sem se desviar da sua própria expressão artística.
Joana Amendoeira tem um estilo próprio, uma voz sua, um repertório seu e uma qualidade que poucas têm: a capacidade de interpretar os textos, de os dizer com uma dicção impecável, em que se percebe cada palavra e cada inflexão, sem ornatos desnecessários, nem pretensiosas exibições de canto.
Reconhecida como uma das vozes mais relevantes da chamada “nova geração do Fado”. Fiel às suas bases mais tradicionais, o Fado na voz de Joana Amendoeira ganha uma nova vida e atitude.

Playlist:
Joana Amendoeira – Trago Fados Nos Sentidos
Joana Amendoeira – Verdes Campos, Verde Vida
Joana Amendoeira – Senhora Do Tejo
Joana Amendoeira – Teu Nome Simplesmente
Joana Amendoeira – So deus sabe
Joana Amendoeira – Todas as Horas São Breves
Joana Amendoeira – Saudades do futuro
Joana Amendoeira – Rosa sem espinhos
Joana Amendoeira – Regresso
Joana Amendoeira – Resposta Facil
Joana Amendoeira – Por Pressa de Viver
Joana Amendoeira – Plantei um Cravo à Janela
Joana Amendoeira – Passageira da Noite [Fado Lopes]
Joana Amendoeira – O feitico dos temores

 



Publicação:
Catarina Pereira
Foto(s): Direitos reservados




AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST