Mi-Fá-Dó-Sol | 27 Mai 2020

Carlos Reis e Dino Marques

 

 

Programa: Mi-Fá-Dó-Sol

De:  Carlos Reis e Dino Marques

Emissão: 27 Maio 2020

Descrição: Programa inteiramente dedicado ao Fado. Realizado por intérpretes do género musical, Mi-Fá-Dó-Sol foca-se na divulgação de artistas e eventos, sem deixar de lado a história e as curiosidades de tão importante património português!

Destaque: Marco Rodrigues 

 

Nasceu em Amarante em 1982, mas aos 8 anos foi viver para os Arcos de Valdevez.O contacto com a música iniciou-se com o pai, Carlos Rodrigues, que era tocador de acordeão na época. Ainda jovem, numa fase algo difícil da sua vida, acompanhou o pai em festas populares de aldeia como vocalista num grupo musical criado pelo próprio pai.Em 1997 obteve o 2º lugar na “Grande Noite do Fado” no Coliseu do Porto, na categoria Juvenil. Nesse ano representa Portugal num Festival em Itália.Até aos quinze anos, apenas sabe que o fado é um género musical e que a sua maior diva é Amália Rodrigues.

Aos 15 anos, altura em que se mudou, com a mãe, para Lisboa, após o divórcio dos pais quis o destino que o fado lhe entrasse pela vida, sem pedir licença, e toda a sua vida muda…Concorreu à Grande Noite do Fado em 1999, no Coliseu dos Recreios de Lisboa, e venceu na categoria Sénior, apesar de ter apenas 16 anos. A partir daí o fado assumiu o papel principalPoucos meses, depois estreia-se como profissional no Café Luso – onde é atualmente fadista e violista residente, para além de diretor artístico e atualmente canta na Adega Machado.

Em 2003 vence o Prémio “Alarga a Tua Vida “(patrocínio Alcatel), na categoria de Fado (Melhor música e Melhor Intérprete).No ano de 2006 edita o seu primeiro trabalho discográfico Fados da Tristeza Alegre. Um ano depois é distinguido com o Prémio Amália Rodrigues 2007, na categoria Revelação.Em outubro de 2006, Marco Rodrigues cantou em Paris ao lado de Carlos do Carmo e Ana Moura

Marco Rodrigues grava “O Tempo a Cantar” (original de Fernando Alvim que integra o álbum “Fados e Canções do Alvim”), a convite do reconhecido músico, e participa no concerto “Fernando Alvim e Convidados”, na Casa da Música, no Porto.Em 2008 participa no Festival RTP da Canção, com o tema “Em Água e Sal”, da autoria de Inês Pedrosa (letra) e de Tiago Machado (música) alcançando o 3.º lugar.

No ano de 2010 é editado o álbum Tantas Lisboas que tem convidados como Carlos do Carmo e Mafalda Arnauth e conta, entre os compositores e letristas, com Boss AC, Tiago Torres da Silva, Inês Pedrosa e Tiago Machado, que assina também a produção do álbum.. Marco Rodrigues neste seu álbum canta a sua paixão por… Lisboa.

“Tantas Lisboas” apresenta clássicos – como o lendário “Fado do Estudante” (interpretado por Vasco Santana no filme “A Canção de Lisboa”), alguns originais como “Rapsódia do fado que ninguém quer”, que reúne alguns fados tradicionais num só tema (prática que tem caído em desuso junto da comunidade fadista), e, ainda, dois temas com música composta pelo próprio Marco Rodrigues (“Onde vou” e “O inverso do fado”).

A cidade de Lisboa está naturalmente presente em muitas canções do álbum “Tantas Lisboas”.De todas elas, Marco Rodrigues destaca “O Homem do Saldanha” – um dueto com Carlos do Carmo, pelo qual Marco Rodrigues sente imenso orgulho, com letra de Boss AC e música de Tiago Machado.

Para além de Boss AC, outros dois poetas contemporâneos dão um importante contributo ao mais recente álbum de Marco Rodrigues: Inês Pedrosa (“Em água e sal”) e Tiago Torres da Silva (“A Rima mais bonita”; “Tantas Lisboas”; “Rapsódia do fado que ninguém quer” e “Valsa das paixões”). O concerto de lançamento do disco teve lugar no Teatro São Luiz (Lisboa).

 

Em agosto de 2011 é convidado pela cantora brasileira Maria Gadú para gravar um tema no seu novo trabalho “Mais uma Página”, editado no Brasil em dezembro de 2011, integra a “A Valsa”- o dueto de Marco Rodrigues com Maria Gadú.Colabora com Fernando Alvim no disco “Fados & Canções do Alvim”, onde interpreta “O Tempo a Cantar”.

Um ano após o concerto de lançamento de “Tantas Lisboas”, e depois da digressão que apresenta o novo álbum de norte a sul do país, incluindo concerto na Casa da Música no Porto, Marco Rodrigues regressa a Lisboa e convida Fernando Alvim, Mafalda Arnauth, Tiago Machado e Micael Gomes para um concerto no Teatro da Trindade, a 28 de Outubro de 2011.A 2 de dezembro de 2011, integra o elenco de fadistas que atuaram na Gala Fado Património da Humanidade, espetáculo comemorativo da distinção do Fado como Património Imaterial da Humanidade, atribuída pela UNESCO e interpreta “A rima mais bonita”, numa das atuações mais aplaudidas do concerto transmitido em direto na RTP1.

Em maio de 2012 atua na abertura dos espetáculos de Maria Gadú, nos coliseus de Lisboa e Porto. Marco Rodrigues foi agraciado com a medalha de mérito cultural pela Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, em 11 de julho de 2012, em cerimónia na Casa das Artes de Arcos de Valdevez.Em março de 2013 é lançado o álbum “EntreTanto”.Em 2015 grava grandes êxitos de sempre em Fados do Fado, álbum que lhe valeu a nomeação para um Grammy Latino em 2016.

Recentemente Marco Rodrigues gravou um novo CD de originais que se intitula Copo Meio Cheio, onde o tema O Tempo, da autoria de Diogo Piçarra, é incluído na banda sonora da novela A Herdeira.Graças ao nascimento do seu filho, Bernardo, e a outras influências musicais que abraça diariamente, criou este álbum Copo Meio Cheio, que, explica, “não é um disco de fado”.

Ao longo dos últimos anos tem atuado em Portugal, Espanha, França, Suíça e Inglaterra, a par de nomes como Carlos do Carmo e Ana Moura, destacando-se a participação no concerto de Mariza, no Royal Festival Hall, em Londres e em Portugal destacam-se atuações no Casino do Estoril, Centro Cultural de Belém e Coliseu dos Recreios em Lisboa e no Porto no Teatro Rivoli, Coliseu e Casa da Música.

É difícil manter-se só a cantar fados tradicionais, gosta também muito da canção e identifica-se a cantar outras músicas menos rígidas, mas Marco Rodrigues é um fadista que faz do fado a sua matriz, apaixonado pelo fado, pelo ambiente, pela força que a palavra tem e pelo intimismo que a própria música cria, mas que também não consegue evitar que toda a música que ouve o influencie.

 

Playlist:
Marco Rodrigues – Rosinha dos Limões
Marco Rodrigues – Trigueirinha
Marco Rodrigues – Vendaval
Marco Rodrigues – Nem às Paredes Confesso
Marco Rodrigues – Ai Se os Meus Olhos Falassem
Marco Rodrigues – Bairro Alto
Marco Rodrigues – Fado do Estudante
Marco Rodrigues – Noite
Marco Rodrigues – Acho Inúteis as Palavras
Marco Rodrigues – Tantas Lisboas
Marco Rodrigues – Sob a Lua
Marco Rodrigues – O Inverso do Fado
Marco Rodrigues – É Só Por Causa Dela
Marco Rodrigues – A Rima Mais Bonita

 



Publicação:
Bruna Rodrigues
Foto(s): Direitos reservados




AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST