A adversidade fez a força, no empate do SC Esmoriz em Canedo

Por em 02/10/2019

O SC Esmoriz deslocou-se a Canedo na esperança de recuperar rapidamente do desaire que havia sofrido no dérbi com a AD Ovarense. O adversário, o Canedo FC , recém promovido, ainda procurava o seu espaço junto da divisão elite. No entanto, os caseiros desde cedo colocaram bastantes dificuldades e estiveram por diversas ocasiões perto do golo. Foi na adversidade, de jogar com menos uma unidade, e depois da conversão da grande marca pelo Canedo, que a formação da Barrinha uniu-se e já perto do tempo regulamentar chegou à igualdade. Sofreram ainda um susto perto do final, mas saíram de Alvadas com um ponto na mala.

A primeira parte foi sofrida para a formação da Barrinha. Demasiado controvertida e a respeitar o opositor, o Canedo foi sempre a formação que mais desenvolta e atrevida esteve junto da baliza do Esmoriz. Numa das ocasiões, os homens de Canedo chegaram mesmo a levantar os braços em festejo do golo, quando Marco Sá tirou a bola sobre a linha de golo, numa estirada a impedir a alteração do marcador num canto directo.

A formação da Barrinha limitava-se a aparecer na dianteira através da primeira linha defensiva, obrigando a saída de bola do Canedo a cometer alguns erros. No entanto, estas transições rápidas eram demasiado inconsequentes e pouco perigo levaram para a baliza de Rui Silva.

Melhores emoções estavam reservadas para o segundo tempo, após um breve descanso nos balneários…

Nos primeiros minutos do segundo tempo, o SC Esmoriz entrou mais solto nas movimentações, com maior disponibilidade de rondar a área adversária, e essa mudança de atitude levou à conquista de uma grande penalidade por mão na bola a remate de Ramos.

Da grande marca, o capitão Dani foi incongruente, rematando demasiado denunciado e pouco colocado sobre a direita da baliza, o que permitiu a defesa tranquila de Rui Silva.

A partir desse momento, o Canedo voltou a animar e começou a reuperar a agressividade ofensiva da primeira parte que culminou, após algumas boas ocasiões, com o lance capital do encontro.

Após um cruzamento da esquerda para o segundo poste, Marco Sá saiu imprudentemente sobre a bola e, apesar de ter chegado primeiro, abordou o lance de forma perigosa. Com o árbitro a assinalar para a grande penalidade, o guardião inconformado, confrontou-o ao ponto de lhe ser exibido o cartão vermelho.

Da marca da grande penalidade, o capitão Tiago Osório, em grande destaque durante o encontro, com tranquilidade frente a Joel Borges, colocou a bola para o lado contrário do guardião.

Costuma-se dizer que é na adversidade que aparecem os verdadeiros “homens” e, com menos uma unidade em campo e a perder 1-0, os Esmorizenses soltaram-se das amarras do taticismo e começou a aparecer cada vez mais perto junto da área adversária.

Com o jogo aberto e partido, o perigo rondava ambas as áreas. Os anfitriões apareciam perigosos e velozes no contra-golpe e a formação da Barrinha encostava-se à entrada da área adversária.

Já bem perto do final, foi de uma excelente execução de livre descaído sobre o lado direito da área, bem perto da linha de cabeceira, que o Esmoriz chegou à igualdade.

Vasco Santos, o jogador mais desequilibrador dos esmorizenses ao longo de todo o encontro, rematou forte com efeito à “gaveta” do segundo poste perante a inércia e impotência de todos os elementos em campo, inclusive o guardião Rui Silva, num golo que promete ser um dos melhores desta época.

Ainda antes do apito final, com o Canedo a carregar e a pressionar forte em busca dos 3 pontos, houve tempo para uma dupla oportunidade consecutiva que esteve muito perto do sucesso.

Primeiro foi Joel Borges a tirar sobre a linha de golo um pontapé de canto direto, à imagem da do primeiro tempo, e depois da recarga, e de costas para a baliza, os caseiros enviaram o esférico contra o poste esquerdo da baliza de Joel Borges, terminando logo após o encontro. Muitos protestos dos jogadores do Canedo no lance, que acreditavam que a bola teria transposto o linha de golo.

No final do encontro, os treinadores revelavam dois semblantes bem diferentes, com queixas de falta de sorte e do critério da arbitragem de um lado, e queixas da apatia na primeira parte mas felicidade na resposta à desvantagem numérica do outro lado.

Ouça as declarações de Miguel Correia e de Miguel Rapinha, técnicos do SC Esmoriz e do Canedo FC respectivamente, em entrevista junto ao relvado captada pelo nosso repórter, Helder Ferreira:

Declarações SC Esmoriz | Miguel Correia
Declarações Canedo FC | Miguel Rapinha

Já no próximo sábado, na véspera das eleições, o SC Esmoriz tem de novo uma deslocação fora, desta feita ao terreno do Cucujães, 14.º classificado no Sabseg neste momento. Espera-se que este seja um encontro ideal para os pupilos de Miguel Correia regressarem às vitórias.

FICHA DE JOGO | Campeonato SABSEG – Jornada 4 | Canedo FC x SC Esmoriz

Canedo FC: Rui Silva, Ratinho, Marco, Ferraz (c), César Quinones, João Paulo, Freddy, Marcelo Pinheiro, Tiago Osório, Yemi e Esneider.
Suplentes utilizados: Vilar, Gabriel e Zé Pedro.
Suplentes: Vasco Coelho, Zé Carlos, Pipa e Paulo Sá.
Treinador: Miguel Rapinha

SC Esmoriz: Marco Sá, Nuno Rio, Rubinho, Daniel Oliveira, Drula, Ramos, Dany Pereira (c), Vasco Santos, André Pinhal, João Valente, Jean Almeida
Suplentes utilizados: Lucas Lima, Joel Borges e Bruno Sousa
Suplentes: Rafa Silva, Marco Santo, Ricardo Sá e Paulo Cruz
Treinador: Miguel Correia

Resultado final: 1-1
Resultado ao intervalo: 0-0
Marcadores: Tiago Osório (GP 65′), Vasco Santos (86′)

MVP Rádio AVfm: Vasco Santos (SC Esmoriz)


Fotos: Helder Ferreira
Texto: Helder Ferreira
Áudio: Jaime Valente


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST