AD Ovarense: “Defesa de Betão” foi apenas ultrapassada por penálti controverso

Por em 30/09/2020

Em encontra a contar para a 3ª jornada do Campeonato SABSEG, Oliveira do Bairro SC e AD Ovarense dividiram pontos com um empate de 1-1. Os golos seriam apontados no final de que cada parte, primeiro por Fábio Novo aos 45’, e por fim, por Alexandre Leira, aos 90’+6, na conversão de uma grande penalidade que gerou muitos protestos por parte dos visitantes.

Certo é que, no Municipal de Oliveira do Bairro, palco do encontro, encontraram-se duas das melhores formações da Zona Sul do SABSEG. Numa partida muito disputada, se é verdade que as oportunidades de perigo junto das áreas não apareceram na quantidade desejada, também é verdade que se assistiu a uma excelente batalha tática entre os dois conjuntos. Ficou provado, portanto, que tanto Falcões do Cértima como Alvinegros estão muito bem orientados e podem chegar longe na época 2020/21.

Desde cedo que os comandados de Cajó mostraram ao que vinham. Com um pulmão quase inesgotável, a turma da casa pressionou alto durante toda a primeira parte, na tentativa de condicionar o jogo de posse da Ovarense. A primeira fase de construção dos vareiros ficou prejudicada: foram várias as vezes em que o guardião Renato Lopes e os seus colegas da defesa tiveram de despejar o esférico no ataque ao invés de saírem a jogar com a bola pelo relvado e, inclusivamente, houve momentos em que erros forçados aconteceram e a bola foi perdida em zonas proibidas.

A entreajuda dos 3 setores da Ovarense foi, por isso, imprescindível ao longo de praticamente toda a partida. Nomeadamente do setor intermediário onde, na tentativa de equilibrar a formação (e também devido às ausências forçadas de JP e Marmelo), Tiago Leite alinhou com um miolo mais musculado e capaz de destruir jogo, com Joãozinho, Bruno Costa e Diogo Farias. A Ovarense sofreu bastante, mas voltou a dar uma prova cabal da sua solidez e espírito de sacrifício, não permitindo uma única ocasião digna de registo ao seu adversário durante 45 minutos.

Assim, e apesar de também não ter proliferado no ataque, a equipa acabou compensada mesmo antes do apito para intervalo. Com Rolas, Lima (este em estreia oficial) e Fábio Novo no tridente ofensivo, coube mesmo ao último a sorte de fazer o gosto ao pé – e logo pela segunda jornada consecutiva. Dando sequência a um erro monumental do guarda-redes Samuel Biscaia (que lhe serviu a bola de bandeja), Fábio Novo foi capaz de fazer um enorme chapéu ao ex-Ovarense e marcou o golo inaugural do desafio. O Oliveira do Bairro, que tanto procurou o erro nos defensores da Ovarense, sofria um golo com uma enorme fífia do seu próprio guarda-redes… ironia das ironias.

A Ovarense continuou a fazer da sua organização o ponto de honra para guardar a vitória. Com uma defesa de betão, a segunda parte parecia correr de feição aos homens de Tiago Leite. Mesmo após a expulsão de Rolas (minuto 60) e as substituições de cariz ofensivo orquestradas pelo Oliveira do Bairro, foram poucos os lances de real calafrio para a área de Renato Lopes. Por seu turno, as entradas de Rodrigo Ferreira (70’) e, principalmente, Tigas (65’) trouxeram frescura ao ataque e muita capacidade de reter a bola longe de zonas de perigo.

No entanto, foi já com Roger dentro de campo (entrou aos 80’) que o momento da partida aconteceu. Corria o minuto 90’+4 quando, num livre à entrada área a favor do Oliveira do Bairro, a bola bateu caprichosamente na mão de um jogador alvinegro que montava a barreira. Apesar das imagens da transmissão da AFA TV revelarem que a falta ocorreu fora fora da área, o árbitro Hélder Resende, juiz da partida, decidiu mesmo apontar para a marca dos onze metros.

Na cobrança, Alexandre Leira restabeleceu a igualdade e encerrou um jogo no qual o trio de arbitragem saiu perante um enorme coro de assobios por da falange de adeptos da Ovarense, não só pela decisão do penálti, mas também pelos lances que deram origem à expulsão por duplo amarelo a Rolas e um outro lance, no primeiro tempo, onde a Ovarense também reclama uma grande penalidade na área do Oliveira do Bairro.

No rescaldo da partida, tanto Cajó como Tiago Leite concordam com a justiça do empate, embora o técnico da Ovarense fale numa arbitragem que prejudicou a sua equipa em larga escala e num sentimento de injustiça pelo facto da Ovarense não ter conseguido segurar os 3 pontos até ao apito final.

Ouça as declarações dos técnicos:

Tiago Leite | Treinador AD Ovarense
Cajó | Treinador Oliveira do Bairro SC

Na próximo fim-de-semana, a Ovarense recebe o Pampilhosa no Estádio Marques da Silva. Tal como nas anteriores, a 4ª jornada do Campeonato SABSEG faz-se à porta fechada devido às restrições da pandemia COVID-19.

A Ovarense segue atualmente no 4º lugar da Zona Sul e, embora tenha um jogo em atraso (folgou na 1ª jornada), encontra-se em lugar de manutenção direta e apuramento para a fase de subida ao Campeonato de Portugal. A formação vareira terá um mês de Outubro onde, para além de receber os homens da Pampilhosa do Botão, recebe ainda o Fermentelos e o Gafanha e visita os redutos do Estarreja e Vista Alegre.


Fotos: Direitos Reservados
Texto: Pedro Silva
Áudio: Jaime Valente
Reportagem: Pedro Silva


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST