Faixa Atual

Título

Artista

Atual

Atual


Basquetebol: A histórica noite em que um grande caiu em Ovar; Ovarense foi gigante e segue para as meias-finais

Escrito por em 14/05/2024

Depois de uma grande vitória no Pavilhão João Rocha, outra ainda maior em Ovar. A Ovarense continua a fazer sonhar todos os amantes do basquetebol vareiro e já está nas meias-finais da Liga Betclic. O Sporting ainda tentou valer-se do estatuto de candidato ao título mas, em Ovar, os alvinegros foram gigantes e venceram novamente (93-91), fechando as contas dos quartos-de-final.

Foi num verdadeiro ambiente do playoff que a Arena de Ovar se encheu para apoiar a Ovarense. Com um pavilhão ensurdecedor e a rebentar pelas costuras, o Ovarense-Sporting foi claramente um dos duelos mais equilibrados da época e acabou por dar vantagens – sempre curtas – para um ou outro conjunto.

Com um processo defensivo muito bem oleado e abnegado, a Ovarense soube guardar o seu cesto com mestria ao longo de toda a primeira parte. E se, numa primeira fase, ainda tomou o seu tempo a acertar agulhas com o cesto, os pontos começaram a surgir (com Nuno Morais em destaque) e a vantagem vareira trouxe duas vitórias nos dois primeiros quartos.

O segundo período, em particular, até abriu com um parcial de 0-7 a favor do Sporting. Os leões rugiam, mas a Ovarense domou a iniciativa do seu adversário com concretizações sucessivas: é que, para além de Nuno Morais, outros atiradores mostraram mão quente, num período onde os triplos voltaram a trazer os alvinegros para a dianteira.

Ao intervalo, fruto de um 24-23 e de 22-19, a Ovarense vencia por 46-42. Quatro pontos de vantagem que rapidamente foram contornados pelos leões no arranque da etapa complementar.

A abrir o terceiro quarto, e tal como acontecera no jogo 1, o Sporting tomou as rédeas, passou para a frente e parecia começar a controlar a partida. A Ovarense ainda encetou uma recuperação, mas acabou mesmo o período com um 19-27 e uma desvantagem magra para os 10 minutos finais.

O último período do encontro foi, por isso mesmo, jogado sobre brasas. Com um Sporting a revelar algum cansaço, fruto da menor rotatividade apresentada pela equipa às ordens de Pedro Nuno Monteiro, a Ovarense teve capacidade para passar novamente para a frente do marcador. O jogo, contudo, ficou marcado por ineficácia de parte a parte.

Chegando às derradeiras posses de bola da noite, a vantagem vareira era curta, apenas de 2 pontos. O Sporting empatou o encontro a 78-78 a 11 segundos do buzzer final, com Marvin Clark Jr., um dos seus elementos em maior foco, a assumir a batuta leonina. Já a Ovarense, na resposta, não foi capaz de encerrar o jogo na última posse de bola, vendo-se obrigada a seguir para um prolongamento quando esteve tão perto da vitória.

Se o clima até poderia gerar mais capacidade anímica ao Sporting, a Ovarense e os seus adeptos, sempre incansáveis, provaram precisamente o contrário. Com Jalen Jenkins a mostrar créditos no ataque nos 5 minutos de tempo extra, a Ovarense rapidamente tomou a dianteira e de lá não mais saiu.

Até aos 93-91 finais, o prolongamento foi vivido de forma intensa, apaixonada e com todos, jogadores, treinadores e adeptos, a empurrarem a Ovarense rumo às meias-finais. No final, Marvin Clark Jr. teve, na linha de lance livre, a oportunidade de arrastar o jogo para mais uma prolongamento ou para a vitória do Sporting. Mas esta era a noite da Ovarense que, com a vitória consumada, viu a sua Arena ser palco de uma enorme e bonita invasão de campo.

Um feito histórico para a Ovarense, mais um de uma equipa que tem crescido a olhos vistos nas últimas 3 temporadas, com João Tiago Silva ao leme. A Ovarense está nas meias-finais da Liga Betclic pela segunda época consecutiva e agora pode acreditar em mais. Até porque sonhar não paga imposto.

Ovarense GAVEX – João Tiago Silva

Com um contributo importante de praticamente todos os atletas chamadas à quadra, a Ovarense muniu-se novamente de Jeremiah Bailey, um dos mais constantes ao longo da maratona de 45 minutos de jogo, para ficar mais perto da vitória. O novo bem-amado de Ovar fez mais um duplo-duplo, com 12 pontos, 22 ressaltos e 6 assistências.

Jalen Jenkins, o herói do prolongamento, fez também uma excelente exibição – 19 pontos, 6 ressaltos, 3 assistências. Render Woods (duplo-duplo de 11 pontos, 6 ressaltos, 10 assistências), Efe Odigie (13 pontos, 7 ressaltos, 2 assistências) e Nuno Morais (13 pontos, 2 ressaltos, 1 assistência) também contribuíram pontualmente em momentos chave do encontro.

[give_form id=”81006″]


Imagem: Direitos Reservados
Texto: Pedro Silva


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *