Faixa Atual

Título

Artista

Atual

Programa da Manhã

08:00 11:00

Atual

Programa da Manhã

08:00 11:00


“O Meu Maior Sonho” é o último single de Fernando Daniel, aproveitado pela Pfizer para nova campanha

Escrito por em 22/04/2021

“O Meu Maior Sonho” é a música com o mote da campanha para a prevenção da Doença Invasiva Meningocócica da farmacêutica Pfizer.

Escrita e interpretada por Fernando Daniel, o artista radicado na praia do Furadouro, saiu no passado dia 19 de abril a nova música do cada vez mais ativo e reconhecido cantautor português. “O Meu Maior Sonho”, que integra a campanha do gigante farmacêutico, retrata os desejos que tantas vezes acompanham as crianças até à idade adulta, moldando as suas vidas. O tema acaba por retratar um período da vida de todos, em que o risco de infeção é mais comum e latente.

O videoclipe, que também conta com a presença do artista residente em Ovar, desfila vários protagonistas de diferentes idades, retratando os sonhos de infância de nove crianças e a sua posterior concretização em fase adulta; numa mensagem de esperança.

De uma veterinária a um chef de cozinha, passando por dois gémeos que se tornaram mecânicos, uma basquetebolista, uma polícia, um gamer, uma tatuadora e pelo próprio Fernando Daniel, que se tornou o artista que aspirava ser, ao longo do videoclipe todos estes sonhos se transformam em realidade, transmitindo felicidade.

A campanha pretende mostrar aos mais novos e respetivas famílias que, embora sejam suscetíveis de contrair uma doença grave e potencialmente fatal, esta pode ser prevenida, de forma a que nenhum sonho fique por concretizar.

Até 15% dos casos de Meningite Meningocócica resultam em morte, mesmo com um diagnóstico precoce e tratamento adequado, com 20% dos sobreviventes à doença a apresentar sequelas permanentes, tais como lesões cerebrais, surdez ou défice motor.

Apesar de rara, a Meningite Meningocócica é uma doença grave. Pode deixar sequelas e causar a morte em 24 a 48 horas. (…) Felizmente, esta doença pode ser prevenida, e é isso que pretendemos reforçar com esta campanha

esclareceu Susana Castro Marques, Diretora Médica da Pfizer Portugal

O que é a Meningite?

A Meningite é uma inflamação das meninges (membranas que revestem o cérebro e a espinal medula) que pode ser provocada por diferentes microrganismos, como vírus, fungos ou bactérias.

A causa mais comum é a bactéria Neisseria meningitidis, também conhecida por meningococo e neste caso, a patologia passa a designar-se por Meningite Meningocócica. Além da meningite, esta bactéria pode causar bacteriemia ou septicémia, infeções da corrente sanguínea.

A forma mais eficaz de prevenir a doença é a vacinação, estando já prevista no Plano Nacional de Vacinação a administração de fármacos contra alguns dos microrganismos que podem provocar a Meningite.

A Transmissão

  • Cerca de 1 em cada 10 pessoas têm o meningococo na parte de trás do nariz e garganta, sem sinais ou sintomas da doença; a este estado chama-se estado de ‘portador’,
  • Os portadores podem transmitir a bactéria a outras pessoas através de gotículas respiratórias (saliva),
  • Geralmente, é necessário contacto próximo (por exemplo, através de tosse ou beijo íntimo), ou contacto prolongado para a transmissão da bactéria,
  • O meningococo não é tão contagioso como os microrganismos que causam gripe ou resfriados, não sendo transmitido através de contacto casual,
  • Os adolescentes e adultos jovens apresentam um risco acrescido de contrair Doença Invasiva Meningocócica devido a comportamentos sociais que facilitam a transmissão do meningococo (beijo íntimo frequente, frequência de discotecas, habitação em residências universitárias, hábitos tabágicos).

Os sintomas

Os sintomas, muitas vezes camuflados por se assemelharem a outras doenças, acabam por dificultar o seu diagnóstico. Os mais comuns são a rigidez da nuca (rigidez do pescoço), febre alta, sensibilidade à luz, confusão, dor de cabeça e vómitos.

Em bebés com menos de 1 ano de idade, é frequente ocorrer abaulamento da fontanela (saliência da zona mole entre os ossos do crânio).

Para saber mais sobre os sintomas, grupos e comportamentos de risco e outras informações, sugerimos o website Conhecer a Meningite.


Fotos: Direitos Reservados
Texto: Irina Silva

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *