Faixa Atual

Título

Artista

Atual

Gira Discos

22:00 24:00

Atual

Gira Discos

22:00 24:00


RTP vai rodar em Ovar o telefilme “Os Armários Vazios”

Escrito por em 14/03/2021

Contado por Mulheres” é um projeto que juntará dez profissionais do mundo performativo (atrizes, realizadoras, encenadoras, etc.) na realização de outras tantas peças audiovisuais, adaptadas de obras literárias de um conjunto selecionado entre os melhores autores portugueses.

A iniciativa é uma proposta da Ukbar e da RTP (Rádio e Televisão de Portugal), em coprodução com a Krakow Film Klaster, uma empresa de produção audiovisual da Polónia.

Os dez telefilmes, com duração entre 45 e 55 minutos, terão estreia no horário nobre da RTP1, ao longo do último trimestre de 2021, sendo gravados entre os meses de abril e agosto de 2021, em diversos locais da região Centro, com o apoio das respetivas Câmaras Municipais e candidatura ao Fundo do Turismo e do Cinema.

Ovar acolherá a rodagem de “Os Armários Vazios”, inspirado na obra que lhe dá o nome, redigida em 1966 por Maria Judite de Carvalho. A realização estará a cargo de Cristina Carvalhal, atriz, encenadora e criadora de personagens cativantes.

“Os Armários Vazios” de Maria Judite de Carvalho

Conheça os outros telefilmes:

LocalidadeTítuloAutorObraRealização
GuardaQuando o Diabo RezaMário de CarvalhoQuando o Diabo RezaFabiana Tavares
CantanhedeA Hora dos LobosCarlos de OliveiraAlcateiaMaria João Luís
Miranda do CorvoO Pio dos MochosSoeiro Pereira GomesContos VermelhosDiana Antunes
Oliveira do HospitalSerpentinaMário ZambujalSerpentinaLaura Seixas
CovilhãTraição do Padre MartinhoBernardo SantarenoTraição do Padre MartinhoAna Cunha
AlcobaçaJogos de EnganosCarlos de OliveiraPequenos BurguesesRita Barbosa
Torres VedrasOs Vivos, o Morto e o Peixe FritoOndjakiOs Vivos, o Morto e o Peixe FritoDaniela Ruah
TomarHá-de Haver uma LeiMaria ArcherHá-de Haver uma LeiAnabela Moreira
Ferreira do ZêzereVizinhasTeolinda GersãoVizinhasSofia Teixeira Gomes
  • 10 obras, entre contemporâneas e censuradas pelo Estado Novo

Parte des obras que serviram de inspiração foram alvo de censura durante o período do Estado Novo. A RTP pretende devolver, ao grande público, obras maiores de Soeiro Pereira Gomes, Maria Archer, Bernardo Santareno e Carlos Oliveira. “Contado por Mulheres” junta-lhes escritos que incluem os desafios dos nossos dias, deitando mão aos trabalhos de Maria Judite de Carvalho, Teolinda Gersão, Ondjaki, Mário Zambujal e Mário de Carvalho.

Maria Judite de Carvalho

Passando por diferentes tipos de escrita e de contexto histórico, a aposta nestas narrativas e autores pretende fazer chorar, rir, sentir dramas de épocas ou palmilhar os sensíveis desafios morais da atualidade, sempre e acima de tudo, entretendo o público com personagens inspiradoras.

  • 10 realizadoras portuguesas de diferentes gerações

A produção destaca a frescura de dez realizadoras de reconhecido talento e de diferentes gerações, aliada à vasta experiência nas áreas do cinema, teatro, dança ou publicidade, com um potencial que enriquecerá o mercado com peças audiovisuais dinâmicas e de bom entretenimento, contribuindo em simultâneo para colmatar assimetrias no acesso das mulheres realizadoras ao meio audiovisual, algo vindo a ser alvo de um esforço de correção a nível europeu.

Assim, mais do que uma iniciativa inovadora, com conteúdos interessantes e de qualidade, o projeto é também uma chamada de atenção para a igualdade de género no acesso a este mercado de trabalho, tornando-o mais inclusivo.

Cristina Carvalhal
  • 10 peças audiovisuais plenas de inovação

Os mentores do projeto justificam a escolha de 10 conteúdos como o número perfeito para a introdução de técnicas inovadoras. A reconstituição histórica, com um grande valor de produção, vai ser captada com o recurso a câmaras com qualidade 4K, em paralelo com a nova tecnologia de targeting na introdução de efeitos e na criação de cenários inteiramente digitais.

Serão utilizadas técnicas de produção digital, que possibilitarão ao público perspetivas e ambientes mais ricos, abrindo as portas à exploração de territórios com mercados maiores, bem como das plataformas de streaming internacionais. Desde logo, a parceria com a produtora polaca Krakow Film Kluster permite a aplicação de técnicas ainda inéditas em Portugal, garantindo o acesso a um mercado de 80 milhões de pessoas, amplificando a notoriedade de Portugal além fronteiras.

  • O Centro de Portugal tem os cenários perfeitos

A escolha do Centro de Portugal para palco de inúmeras cenas que irão preencher os telefilmes está ligada à riqueza da região, com todos os seus detalhes, tradições, ditos, cantares e máscaras. Uma densidade que cria contextos narrativos às personagens e situações de cada cena.

Na região Centro encontrámos a diversidade histórica, cultural e paisagística que os telefilmes precisam. São dez espaços visuais que nos levam a uma panóplia de universos emocionais.

Parque Urbano de Ovar
  • Investimento da autarquia ficará na economia local

O executivo da Câmara Municipal de Ovar (CMO) encara a rodagem de “Os Armários Vazios” no nosso território como uma oportunidade única de o fazer chegar ao grande público, contribuindo para a afirmação da identidade vareira fora de portas. Salvador Malheiro, presidente da CMO, destaca ainda que o apoio financeiro do município se irá traduzir em questões logísticas, tais como o assumir das despesas de estadia e alimentação de toda a equipa envolvida no telefilme. Esses serviços serão prestados por empresas locais, que serão beneficiadas pela iniciativa, ajudando-as a alavancar uma fase menos boa que a nossa região está a atravessar.


Fotos: Direitos Reservados
Texto: Irina Silva

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *