SEEBug está a desenvolver na Universidade de Aveiro sensor para detetar toxinas nos bivalves

Por em 09/10/2020

O Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro (UA) está a desenvolver um projeto designado SEEBug, que pretende detetar precocemente a contaminação microbiológica dos bivalves.

O projeto tem o objetivo de desenvolver e aplicar sensores capazes de detetar a contaminação dos bivalves por bactérias precocemente, evitando a apanha ilegal dos mesmos. Em paralelo, está a ser desenvolvida uma aplicação móvel de fácil utilização, que permita aos operadores da fileira da pesca de bivalves, desde os pescadores aos vendedores estar informados.

Esta ferramenta pode ser vista como um complemento às atuais análises regulamentadas, visando minimizar prejuízos mais significativos. O projeto foi idealizado, concebido e coordenado por Catarina Marques, contando com a co-coordenação de Amadeu Marques, ambos investigadores do CESAM e do Departamento de Biologia da UA.

Tendo em conta que os bivalves são muitas vezes consumidos vivos, a necessidade de aplicar sistemas de controlo que garantam a segurança alimentar e previnam impactos negativos na saúde dos consumidores, é de extrema relevância.

revelou Catarina Marques

Embora fidedignos, os rastreios atuais fornecem resultados apenas 2 a 3 dias depois da colheita dos bivalves, espaço temporal que Catarina Marques afirma ser “suficiente para infligir danos significativos do ponto de vista económico, social, ambiental e da saúde pública”.

A iniciativa junta um grupo de trabalho alargado, com parcerias estratégicas entre investigadores do CESAM, do Instituto de Engenharia Eletrónica e Telemática de Aveiro e do Instituto Superior Técnico da UA, apoiados pela Associação de Pesca Artesanal da Região de Aveiro (APARA), pela DOCAPESCA – Portos e Lotas, S.A, e outros agentes. Deste modo, a transferência de conhecimento entre cientistas e pescadores faz parte do DNA do projeto desde o início, pretendendo-se criar uma ferramenta útil e abrangente a todos os agentes do setor.

O SEEBug conta com um financiamento de 487 mil euros do Programa Operacional MAR 2020, composto por verbas nacionais e do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP).


Fotos: Direitos Reservados
Texto: Irina Silva


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST