Jordão saiu do banco para dar o pontapé rumo à vitória da AD Ovarense

Por em 24/11/2017

O Marques da Silva é a morada do onze até agora invencível nesta época, a AD Ovarense feminina. A equipa B do Valadares Gaia sabia as dificuldades que iria encontrar na deslocação, sempre complicada, ao terreno das adversárias. O Valadares era a vice-líder do campeonato e procurava dar o primeiro dissabor aos adeptos ovarenses na tarde do passado Domingo. O jogo, esse acabou por ser o reflexo do equilíbrio de armas entre as equipas e teve de ser mesmo ao cair do pano que as vareiras arrancaram «a ferros» os 3 pontos às visitantes.

No final, o resultado de 1 x 0 foi ajustado à maior produção das da casa, que sempre foram a equipa mais próxima do golo. Vejamos então os 11 de ambas as equipas, antes de saltarmos para as ocorrências do jogo…

Paulo Campino, treinador das vareiras e presidente do Clube, deu a sua confiança na baliza à habitual titular Lara Sousa; na defesa a Sónia Silva, Joana Pinho, Adriana e Mariana Campino; no miolo a Diana Gonçalves, Sara Lopes e Joana Gomes; e no ataque a Soares, Rute Silva e Betinha mais ao centro.

Já Nuno Pereira, técnico das visitantes, decidiu construir o seu onze com Cláudia Rocha na baliza; Machado, Náná, Barge e Ana Rita no eixo defensivo; Ju, Scarli, Joana Neves, Inês Santos e Andreia Freitas, mais adiantada, na zona intermediária; e mais isolada à frente, Joana Martins, avançada valadarense.

No primeiro quarto de hora, as vareiras entraram fortes e criaram algumas dificuldades de contenção às forasteiras. Um excelente exemplo ocorreu ao passar do minuto 13’, com Rute Silva em contra-ataque venenoso, a isolar-se pelo lado direito do ataque. Quando tinha tudo para chutar à baliza, optou pelo cruzamento ao segundo poste, que acabaria cortado em carrinho pela defesa do Valadares. Foi o primeiro aviso!

O Valadares Gaia aos poucos foi reequilibrando a partida e deu o seu ar de graça aos 29’, com Andreia Freitas a rematar, já dentro da área, ligeiramente por cima da trave da baliza de Lara Sousa; após uma boa combinação no lado direito do ataque das forasteiras.

As vice-líderes começavam a controlar a posse de bola na partida e a Ovarense limitou-se à expectativa de sair em transições rápidas para o ataque, explorando a velocidade das suas pontas e aproveitando o recorte técnico mais apurado das jogadoras do miolo para lançar os ataques.

Já depois de mais um lance perigoso na grande área, Soares, aos 36’, volta a desperdiçar uma excelente oportunidade para a equipa vareira. Muito à imagem de grande parte do jogo, Rute Silva isolou-se a grande velocidade pela esquerda do ataque e cruzou para o segundo poste. Soares, que apareceu isolada, não teve a frieza necessária e acabou por rematar praticamente à figura de Cláudia Rocha. A ala da ovarense tinha tudo para ter feito bem melhor nesta jogada.

Quanto ao Valadares Gaia B, apesar de ter mais bola e andar sempre perto da área adversária, tinha dificuldades na definição do último terço do campo. O melhor que conseguiu, nesse período, foi um remate por cima da trave de Joana Martins, à entrada da área.

Ao intervalo aceitava-se a igualdade, mas não se estranharia decerto a vantagem das vareiras, pelas boas oportunidades que acabaram por desperdiçar na primeira parte.

A segunda metade pouco alterou na disposição das equipas. Aposta na posse de bola para construir perigo, por um lado; e na velocidade e virtuosidade do seu ataque, pelo outro…

À imagem disso, as ovarenses teriam a melhor oportunidade, para além do golo, ao passar do minuto 55’, quando Betinha colocou o esférico por cima da defesa, para Rute Silva aparecer rápida nas suas costas e rematar prontamente contra o poste direito da baliza defendida por Cláudia Rocha. A guardiã, após hesitar na saída de entre os postes e ficar a meio caminho, acabou por ter sorte ao ver a bola passar rente à linha do golo, após o ressalto do ferro.

A opositora logo no minuto seguinte, após ter sido espevitada, testou a atenção de Lara com um remate dentro da área de Andreia Freitas, após insistência pela esquerda. Defesa de recurso com os joelhos pela guarda-redes, que obrigou a conter a bola a dois tempos.

Ainda antes da sua saída forçada por lesão, a endiabrada Rute Silva, rematou ao passar do minuto 61’ perto da «gaveta» do lado direito da baliza do Valadares. Num lance típico do ataque vareiro, a guardiã Cláudia pouco poderia fazer caso a bola fosse uns centímetros mais para dentro…

Os nervos começavam a ser palpáveis no Marques da Silva e Betinha bem que os procurou tranquilizar, mas parecia não querer nada com as redes da baliza adversária.

Quando já poucos acreditavam, a crença e insistência na procura da sorte das jogadoras vareiras haveria de ser compensada. Aos 88’, Beatriz Jordão, que saiu do banco para ocupar o lugar de Soares, teve nos seus pés o tiro certeiro que deu os 3 pontos à sua equipa. Mariana Campino arrancou pela esquerda em jogada individual e, após ultrapassar duas adversárias, cruzou ao segundo poste para ver Betinha deixar passar a bola para o pé de Jordão que, com a maior naturalidade, rematou em contrapé à guarda-redes e central opositoras, colocando a bola junto ao poste direito.

Chegou assim a ADO ao único golo do encontro, na última jogada perigosa da partida, premiando maior clarividência e verticalidade dos seus processos ofensivos.

Caso para dizer «água mole em pedra dura, tanto bate até que fura»… A persistência foi recompensada!

Helder Ferreira foi o repórter da AVfm no local. Ouça as entrevistas aos técnicos:

Paulo Campino – Treinador da AD Ovarense

 

Nuno Pereira – Treinador do Valadares Gaia FC B

 

Um último destaque para a exibição de Rute Silva, sempre muito difícil de travar pela defensiva adversária, bem secundada pela classe de processos de Betinha e a verticalidade e pulmão da lateral Mariana Campino; não esquecendo a Beatriz Jordão que acabaria por ser a jogadora talismã da partida, a partir do banco!

A AD Ovarense terá agora uma paragem no campeonato para disputar a 2ª eliminatória da Taça de Portugal Allianz frente ao FC Pedras Rubras, já no próximo domingo.

Veja a fotogaleria:

 


Fotos: António Silva
Texto: Helder Ferreira

Opinião dos leitores
  1. Santos   Em   24/11/2017 pelas 8:58

    Já que insistem em dizer que o Valadares B levou reforços da equipa A, podem referi-los? Gostava de saber quem são as jogadoras que jogam na 1a liga e foram a ovar jogar pelo Valadares B

    • AVfm   Em   24/11/2017 pelas 11:49

      Baseamos essa afirmação nas declarações do Treinador da AD Ovarense, como podem ouvir no próprio artigo.
      Uma vez que o mesmo já veio publicamente afirmar que se enganou, o texto foi alterado.
      Agradecemos o seu contacto!

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST