Basquetebol Feminino: Ovarense ainda sonha com a manutenção

Por em 23/03/2019

A equipa de basquetebol feminino da AD Ovarense regressou aos triunfos, no passado sábado, e manteve vivas as esperanças de manutenção na Liga Feminina, o principal escalão da modalidade.

A turma comandada por Jorge Maia recebeu e venceu o CJ Boa Viagem por 74-73, em partida a contar para a 21ª jornada da prova. O triunfo pela margem mínima foi apenas conquistado no prolongamento e graças a muita personalidade e persistência da Ovarense. De facto, o jogo foi pautado pelo equilibro e os dois pontos atribuídos às vareiras podiam também ter ido para as açorianas.

Em grande foco estiveram (mais uma vez) as irmãs Ana e Gabriela Raimundo. Em conjunto, as duas monopolizaram o jogo da Ovarense e conduziram as suas colegas à vitória com 41 pontos somados, 14 assistências, 14 roubos de bola e 12 faltas provocadas.

Em evidência esteve também a jovem internacional Maria Silva, ela que conquistou faltas (6 no total) em momentos chave para o desfecho do encontro e ainda revelou mestria para acumular 10 pontos e 8 ressaltos aos seus números.

Pedro Silva foi o repórter da Rádio AVfm na Arena de Ovar. Ouça as declarações de ambos os técnicos no rescaldo da partida:

  • Declarações AD Ovarense | Jorge Maia:
  • Declarações CJ Boa Viagem | Roberto Simões:

A Ovarense chegou, assim, à primeira vitória do ano em jogos da Liga. A equipa alvinegra atravessava um calvário de derrotas desde o passado dia 23 de Dezembro, aquando da conquista em Carnide por 82-76.

Longe dos seus melhores momentos, a Ovarense permanece em zona de descida de divisão e terá apenas mais uma jornada para impedir que o próximo ano seja passado num escalão secundário. No entanto, as vareiras não dependem apenas de si mesmas e, para além de estarem obrigadas a vencer na recepção à AD Vagos (atual 4º classificado), precisam que o CAD Coimbra perca na visita ao Olivais. Apenas perante esse cenário se dará uma troca de posições e a Ovarense tomará o lugar que agora é das coimbrenses.

As estatísticas trazem, ainda assim, possibilidades animadoras. Se é verdade que o CAD Coimbra conquistou 4 das suas 6 vitórias na segunda volta do campeonato, também é verdade que apenas conseguiu vencer fora de casa por duas ocasiões – precisamente em Ovar e na Madeira, contra o CAB. Para além disso, e apesar de nem ser preciso sair da cidade dos estudantes para se encontrar com o Olivais de Coimbra, a equipa do CAD vai “só” defrontar o primeiro classificado da tabela.

Caso se confirme a “ajuda” do Olivais, a Ovarense terá de melhorar em muito aquilo que registou em Vagos: quando foi até à ponta sul do distrito de Aveiro, a ADO perdeu por contundentes 61-49. Recorde-se que tanto Vagos e Ovarense como Olivais e CAD jogam no mesmo dia e à mesma hora, no Domingo e a partir das 16h00.

Aconteça o que acontecer, não se pode apontar o dedo à Ovarense e à campanha que fez na temporada. É verdade que, inclusivamente, se chegou a sonhar com uma presença no playoff, mas a realidade é que, mesmo que caia para a 1ª Divisão, a formação já conquistou muito com poucos recursos.

Ao contrário de equipas com orçamentos mais poderosos, a Ovarense aposta forte na jovem prata da casa e abre espaço para que o talento da sua formação se mostre nos grandes palcos. Esta temporada, com Erika Williams como única jogadora estrangeira, as vareiras voltaram a protagonizar algumas surpresas, como foram os triunfos perante o CAB Madeira, Vitória SC, Benfica ou Carnide, formações que estão ou podem estar no playoff. Para além disso, a Ovarense alcançou os quartos de final da Taça de Portugal e chegou a um honroso pódio na Taça Vítor Hugo, no arranque da época.

Pela Arena de Ovar, a crença de que a Ovarense pode mudar o rumo dos acontecimentos no photo finish é muito forte. Mas há uma crença ainda mais forte: a de que, mais do que os resultados, o projeto do feminino tem de ser medido pela evolução registada pelas atletas da ADO.

E contra factos não há argumentos. A formação da Ovarense é uma marca e no feminino, muito graças à equipa senior, continua a gerar basquetebolistas de excelente nível. Quer jogue na Liga, quer não jogue.


Fotos: Direitos Reservados
Texto: Pedro Silva
Áudio: Jaime Valente


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST