Um rio de emoções na derrota da AD Ovarense frente ao SC Alba

Por em 30/11/2017

Estava tudo em igualdade de circunstâncias à entrada da 11ª jornada, e os ovarenses presentes no Marques da Silva certamente aguardavam com ansiedade o regresso da equipa às vitórias, depois de no último fim-de-semana ter cedido um emocionante empate a 3 golos na casa do Vista Alegre. No entanto, a ADO (2 vitórias, 2 empates e 6 derrotas, com 8 pontos) iria descobrir, da pior forma, que o futebol é feito de eficácia. Bastou um pontapé de canto do Alba (com os mesmos pontos e resultados da ADO), ao início do segundo tempo; para os visitantes «roubarem» os 3 pontos, num estádio sempre complicado para quem o visita.

O resultado final de 0 x 1 pouco traduziu aquilo que se passou em campo mas, no futebol, o que conta são as bolas que entram antes do apito final…

Mas vamos dar um alto até às constituições, antes de revermos aquilo que se passou em campo!

Artur Marques, técnico vareiro, foi obrigado a algumas alterações no onze, alinhando na baliza com Samuel Biscaia; na defesa com Pedrinho, Fábio Pereira, Kokas e David Rocha; no miolo com Femi, João Paulo e Filipe Lírio; e no trio de ataque com Tigas, Fred e Bruno Afonso mais ao centro.

Já Hugo Oliveira, treinador do Alba e amigo pessoal de Artur, trouxe para o campo um esquema de 4-4-2 pouco habitual para estas ligas, composto por Carvalheira na baliza; Miguel, Resende, Alex e Ricardo na defensiva; Gabi, Koka e Coutinho e Helder mais abertos nas alas; e pela dupla, Tojo e Tito, mais avançada no terreno.

A primeira parte foi sobretudo da Ovarense. Já depois de uma primeira ameaça, num livre directo de Tigas, os adeptos da Ovarense ainda gritaram golo de Bruno Afonso; aos 15’, mas este veio a ser anulado pelo trio de arbitragem de Christian Correia. Excelente combinação dos vareiros na esquerda do ataque, que deu um cruzamento para a pequena área até à cabeça de Bruno Afonso, mas o dianteiro acabou mesmo por carregar o guardião Carvalheira, cometendo a falta…

Logo no minuto seguinte, Tito, avançado do Alba, ainda pediu penálti à entrada da área, mas Christian Correia esteve bem ao assinalar a simulação do forasteiro e atribuir-lhe a cartolina amarela!

Com o jogo ligado à corrente, Fred, aos 18’, ainda deu a falsa sensação a alguns adeptos da bancada central de ter faturado com um remate bombeado, sobre o lado esquerdo da área; que rasou a trave e terminou junto às malhas da rede, por detrás da baliza do Alba.

No primeiro tempo, os da casa estiveram sempre mais próximos do golo, mas nem Tigas com um remate desviado, quase a trair o guarda-redes Carvalheira aos 29’; nem Femi a aparecer ao segundo poste isolado, a desviar um cruzamento por cima da trave, aos 29’; tiveram engenho suficiente para mudar o rumo do marcador.

Ao recolher para o descanso, o melhor que os visitantes conseguiam era criar algum conflito na área através de bolas paradas, o seu prato forte, enquanto os alvinegros se queixavam de falta de pontaria…

Quando voltaram a pisar o relvado, os de Albergaria vinham convictos de que a estratégia montada pelo seu treinador era a mais correcta… e não tardaria a dar resultados práticos. Logo aos 51’, pontapé-de-canto na direita e, ao primeiro poste; aparece nas alturas o capitão Resende a cabecear com tudo para o lado esquerdo da baliza de Samuel. Dada a proximidade, o guardião vareiro nada conseguiu fazer!

Após um primeiro aviso de Tito, aos 60’, com um cabeceamento à figura, o mesmo dianteiro, aos 74’ esgueirou-se rapidamente num contra-ataque e, não fosse o movimento felino de Samuel a sair dos postes até à saída da área; teria conseguido sentenciar a partida ao ampliar o marcador…

A formação vareira subia linhas, refrescava as alas e até convertia centrais em segundos avançados; mas o Alba estava como queria no jogo, acumulando oportunidades; por vários jogadores, em contra-ataques venenosos. Entre eles, estava Ricardinho, extremo que entrou ao segundo tempo e criou muitas dificuldades com a sua velocidade e repentismo, no lado direito.

Perto do final, o jogo estava partido, mas a casa quase acabaria por partir por completo, com um simples gesto duplo do árbitro principal. Aos 89’, Bruno Afonso e Kokas acabam expulsos depois de se embrulharem num lance a meio campo e trocarem algumas palavras acesas. Quando se dirigiam para a entrada dos balneários, Kokas, apercebendo-se que não tinha ninguém à sua volta, correu na direcção de Bruno Afonso… o caldo acabou entornado!

Os dois jogadores envolveram-se em confrontos físicos e a confusão ficou instalada, com todos os principais agentes do encontro a andar no meio de uma mancha amarela e alvinegra…

Perante este cenário, os adeptos acabaram contagiados, ameaçando a invasão em campo, junto e por cima do gradeamento, arremessando o que tinham «mais à mão». Garrafas, isqueiros e até um balde de tinta, que servia de recipiente do lixo nas instalações, acabaram por atravessar a barreira de protecção.

Valeu o bom senso de alguns jogadores e adeptos da casa, que apelaram à calma e inclusivamente retiraram alguns dos elementos mais «enervados» da zona de conflito!

Com todo este tumulto, foi com naturalidade que a equipa de arbitragem atribuiu 15 minutos para lá do tempo regulamentar.

Já no tempo de descontos, as equipas acabaram por dividir oportunidades de golo. Tito, para a equipa visitante, apareceu sozinho no coração da área após passe rasteiro e atrasado de Ricardinho; todavia rematando praticamente à figura de Samuel. Os vareiros, mesmo sobre o fim; ainda entraram pelo lado direito da área fazendo um cruzamento rasteiro que, após passar o guardião Carvalheira; acabou interceptado por Resende, levando a bola a passar muito perto da baliza já deserta…

Terminava o jogo no Marques da Silva com uma derrota «pesada» para a Ovarense, que produziu o suficiente para sair com outro resultado para os balneários, mas foi vítima da estratégia bem montada e, sobretudo; da segunda parte competente do SC Alba.

Helder Ferreira foi o repórter da AVfm no local. Ouça as entrevistas aos técnicos:

  • Artur Marques – Treinador da AD Ovarense

 

  • Hugo Oliveira – Treinador do SC Alba

 

Uma nota final para o facto de Bruno Afonso, que substituiu Mário Jardel (castigado devido a expulsão no jogo anterior), mesmo ao cair do pano, ter também acabado expulso. Uma «mala pata» que os vareiros esperam quebrar já no próximo compromisso.

Falando nisso, a AD Ovarense tem no próximo fim-de-semana uma deslocação ao terreno de Alvarenga, actual 11º classificado do Campeonato Safina, onde procurará voltar à felicidade das vitórias.

Veja a fotogaleria:

 


Fotos: António Silva
Texto: Helder Ferreira

Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST