Ovarense DV fica a centímetros (e dois pontos) de surpreender a UD Oliveirense

Por em 07/02/2018

A Ovarense DV regressou aos serões de sábado à noite quando se deslocou, no último fim-de-semana, ao Pavilhão Polidesportivo Dr. Salvador Machado para defrontar a candidata ao título e segunda classificada, a UD Oliveirense.

As formações estavam alertadas para as eventuais dificuldades que iriam encontrar neste duelo clássico e finalizaram mesmo a partida fazendo jus à história da rivalidade entre ambas. Num jogo disputado até aos últimos segundos, os detalhes foram decisivos e os centímetros acabaram por ditar a diferença no resultado final.

João Abreu, na última jogada de ataque da Oliveirense, conseguiu o triplo (numa segunda vaga) que deu a vantagem de 76-74 e o marcador que viria a ser o final. Um balde de água fria para os vareiros, frustrados por terem desperdiçado uma vantagem de 3 pontos com menos de um minuto para se jogar.

Mas antes de conhecermos o par e passo até aos momentos decisivos, vamos saber quem foram os cincos que iniciaram o jogo…

Nuno Manarte, técnico visitante, decidiu jogar pelo seguro, apostou em quem boas provas de confiança vem dando e alinhou com o mesmo 5 dos últimos encontros: Will Perry, José Miranda, João Grosso, Jermel Kennedy e Cristóvão Cordeiro.

Já Norberto Alves, treinador da Oliveirense, sem poder contar com os serviços do lesionado Eric Coleman (que muito trabalho deu à Ovarense na primeira volta), iniciou o confronto com José Barbosa, João Balseiro, Travante Williams, Arnette Hallman e Luka Nikolic.

O primeiro período trouxe um jogo muito «amarrado» tacticamente e com muita disputa física entre as equipas. O índice de concretização não esteve alto e as faltas sucederam-se umas atrás das outras, com ambos os lados rapidamente a atingirem a zona bónus (5 faltas de equipa) e a frequentarem regularmente a linha de lance-livre.

No meio deste jogo «mastigado», os anfitriões foram quem melhor aproveitou o andamento e, estando mais certeiros também nos lançamentos de campo, acabaram por cavar uma boa liderança no final do 1º período – 25-12 – mas que não era ainda suficiente para lhes assegurar o controlo do jogo.

Essa falta de controlo acabou mesmo por vir ao de cima, no segundo período, com os atletas vareiros a edificarem uma remontada no marcador graças a uma entrada bastante forte. Uma defesa intensa e uma circulação mais rápida da bola para os atiradores se soltarem estiveram na base da excelente recuperação

Quem também esteve na base dessa recuperação foram sobretudo 4 atletas que saíram do banco, Pedro Oliveira, João Fernandes, Emanuel Sá e Pedro Pinto. Eles deram uma nova energia na luta das tabelas e reforçaram a eficácia no tiro exterior.

A liderança tangencial ao intervalo, de 35-39, no meio de muito equilibrio, devia-se à maior assertividade no tiro exterior dos forasteiros ( 4 convertidos contra 1 da UDO); aos 12 pontos que vieram por culpa dos 7 roubos de bola; mas sobretudo pelos 26 pontos (contra apenas 12) conquistados por jogadores que saíram do banco.

No segundo tempo, esperava-se uma entrada forte da equipa da casa. Mas, na verdade, foi a Ovarense DV a voltar determinada em continuar com o jogo intenso com que tinha concluído o segundo período.

A ODV foi dilatando o marcador e chegou mesmo a estar na liderança por 14 pontos. Contudo, ainda suportou uma ligeira reacção dos da casa na recta final do 3º período. Apesar dessa reacção, a turma de Nuno Manarte contava com uma boa vantagem de 10 pontos (52-62) quando partiu para o derradeiro período.

Com a desvantagem na casa das dezenas, foi com naturalidade que a UDO recorreu a uma defesa alta em campo, pressionando inúmeras vezes com dois homens sobre o portador da bola e obrigando a Ovarense a sair da sua zona de conforto. Toda esta pressão fez a Oliveirense reentrar no jogo ao ponto de, com cerca de 3 minutos para o fim, voltar a liderar o marcador.

Os visitantes podiam ter ficado abalados com esta reacção e com o apoio do público à Oliveirense, mas a Ovarense aguentou bem este maior fulgor do opositor. A equipa procurava colocar a bola num jogador que parece talhado para os momentos finais, Jermel Kennedy, e o atleta não defraudou as expectativas. Numa jogada individual, mesmo com dois homens em cima, lançou à tabela para dar uma liderança de 3 pontos aos vareiros, isto quando faltavam apenas 21 segundos para o fecho do encontro.

A claque oliveirense começava a desacreditar mas, após desconto técnico, sucederam-se dois pontos para a ODV na jogada seguinte; e um turnover na reposição lateral que permitiu o último ataque dos anfitriões e a definição do vencedor final.

Da linha lateral, houve uma reposição que viu Hallman falhar o primeiro lançamento de meia distância mas, ironia de destino, o esférico ressaltou por baixo de vários jogadores e sobrou para as mãos de Renato Azevedo. Sem hesitar, este fez o passe decisivo para João Abreu, solto atrás da linha dos três pontos e frontal ao cesto, que não desperdiçou e concretizou o triplo que acabaria por fechar o resultado num 76-74.

Vencia a Oliveirense num jogo de cortar a respiração e com suspense até à última. Mesmo com uma eficácia bem mais baixa que o adversário (37,1% contra 46% da ODV), a UD Oliveirense triunfou graças a 16 ressaltos ofensivos (que proporcionaram 17 pontos em segundas oportunidades) e 10 roubos de bola (os grandes responsáveis pelos 18 turnovers).

Helder Ferreira foi o repórter da Rádio AVfm no local. Ouça as declarações dos técnicos:

  • Declarações UD Oliveirense |  Hugo Matos:

 

  • Declarações Ovarense DV | Nuno Manarte:

 

No meio de vários contributos válidos para a Oliveirenses, o MVP do jogo – repetindo a façanha da 1ª volta – acabou mesmo por ser Arnette Hallman, jogador que fez 23 pontos, 10 ressaltos e 3 roubos de bola.

Já do lado da Ovarense, houve um cenário muito idêntico na estatística dos seus atletas. No entanto, Jermel Kennedy, com 18 pontos e 6 ressaltos (63,6% de eficácia no lançamento), foi o maior destaque.

No próximo sábado, a Ovarense Dolce Vita, que mantém a oitava posição, irá receber o SC Lusitânia, 10º classificado mas muito motivado após a vitória sobre o SL Benfica. Se vencerem, os vareiros podem mesmo subir alguns lugares na tabela classificativa e entrar no «grupo dos vencedores».

 


Fotos:  Helder Ferreira
Texto:  Helder Ferreira
Áudio: Jaime Valente


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

A sua nova rádio de sempre

A passar agora
TITLE
ARTIST