Faixa Atual

Título

Artista

Atual

Sábado de Manhã

09:00 12:00

Atual

Sábado de Manhã

09:00 12:00


«A mudança foi-me comunicada 5 minutos antes do treino, merecia outro tipo de respeito» – Cajó

Escrito por em 08/01/2024

As primeiras palavras públicas de Cajó após deixar o comando técnico da Ovarense foram dadas à Rádio AVfm. Em entrevista a Joel Magina, o agora treinador do Pampilhosa abordou a saída do clube alvinegro, sem deixar nada por dizer.

Foi no rescaldo do jogo entre Pampilhosa e Ovarense que Cajó, à margem do resultado final de 2-2, deixou uma mensagem aos adeptos vareiros e ao seu antigo grupo de trabalho. O treinador explicou ainda o momento do seu despedimento e teceu críticas à estrutura da Ovarense pela forma como este aconteceu.

«A minha saída de Ovar e da Ovarense não me deu espaço para deixar uma mensagem às pessoas que para mim foram muito importantes», começou por dizer. «Eu evitei ao máximo fazer este jogo. O Pampilhosa ficou sem treinador e eu, que sou um pai de família, preciso de trabalhar. Queria só entrar depois por respeito ao grupo de trabalho da Ovarense, que era o meu grupo de trabalho, mas o futebol é mesmo assim. Pela forma como agiram comigo [na Ovarense], nem devia ter tido essa preocupação.»

Declarações que demonstram a relação de amizade que permanece entre Cajó e muitos dos que continuam, ao dia de hoje, ligados à Ovarense. Mas que, ao mesmo tempo, levantam o véu de uma saída do comando técnico da equipa que não foi, no seu entender, airosa.

«Fui surpreendido pela decisão de acharem que eu era o problema do clube. Não houve nenhum sinal até ao jogo do Espinho e mesmo nesse jogo não houve nada que indicasse a possibilidade de mudança.»

Cajó vai mais longe e explica mesmo o momento em que lhe foi transmitida a saída. «Estava a 5 minutos de começar o treino quando me foi comunicada a mudança e acho que merecia outro tipo de tratamento. […] Merecia outro respeito.»

«Não encontro sequer justificação para a minha saída. Quem está dentro do clube é que toma as decisões e tem de levar com as consequências. […] Eu sentia que conseguia atingir os objetivos. Mas disse-lhes que, se achavam que eu era o problema, então que encontrassem outra pessoa que fizesse melhor.»

Cajó mostra-se, neste momento, focado em ajudar o Pampilhosa a subir de forma. O técnico gostou de vários pormenores na exibição da sua nova equipa, mas não fechou o ciclo Ovarense sem revelar mágoa para com quem «lhe tirou a oportunidade de lutar.»

«Sentia que era capaz de levar a Ovarense até ao fim. Talvez o mal tenha sido termos começado tão bem, estivemos muito tempo à frente. […] Quando fui para a Ovarense, não havia bolas nem luz para treinar e, tendo em conta o que eu fiz pelo clube, sinto-me magoado. Desistiram de mim.»

A Ovarense segue trabalhos com o seu novo timoneiro, Miguel Moreira, ocupando atualmente o 3.º lugar do Campeonato SABSEG com 33 pontos e a 8 do líder, União de Lamas. Por seu turno, Cajó tenta alavancar o Pampilhosa, que ocupa o 8.º lugar da classificação, com 21 pontos.

FC Pampilhosa – Cajó

Pedimos desculpa pelas falhas no áudio disponibilizado com a entrevista a Cajó. As mesmas são verificadas por problemas de transmissão, totalmente alheios à Rádio AVfm.

Recorde-se ainda que a Rádio AVfm tentou chegar à fala com o novo treinador dos alvinegros, Miguel Moreira, no rescaldo da partida de ontem. A entrevista não nos foi concedida por imposição da estrutura da Ovarense, que negou qualquer tipo de declaração de intervenientes do jogo à nossa emissora.

Como tem feito ao longo dos últimos anos, a Rádio AVfm continuará a acompanhar o dia-a-dia da AD Ovarense nos seus relatos, no programa “Passe de Letra” e em www.radioavfm.net. Sempre com a isenção e espírito de missão dos quais nos orgulhamos.

[give_form id=”81006″]


Imagem: Direitos Reservados
Texto: Pedro Silva


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *