Current track

Title

Artist

Current show

Programa da Manhã

08:00 10:00

Current show

Programa da Manhã

08:00 10:00


Legislativas ’22: afinal, no próximo dia 30, os eleitores de Ovar vão votar em quem?!…

Por em 11/01/2022

No próximo dia 30 de janeiro, decorrem em Portugal as Eleições Legislativas 2022. O ato eleitoral é antecipado em relação ao calendário previsto (a última votação decorreu em outubro de 2019), já que o Presidente da República dissolveu o Parlamento, na sequência da falta de entendimento para a aprovação do Orçamento do Estado do presente ano.

À semelhança das autárquicas e presidenciais, estas eleições atribuem mandatos de quatro anos. A sua denominação assenta no fato de irmos eleger “quem vai legislar” na Assembleia na República.

Assim, neste sufrágio, os cidadãos são convidados a exercer o seu direito de voto, escolhendo os 230 deputados que vão representar os 22 Círculos Eleitorais no Parlamento. Destes, 20 dizem respeito ao território nacional (continental e arquipélagos) e 2 à emigração (Europa e fora da Europa).

A Assembleia da República é um órgão de soberania com competências legislativas em matérias constitucionalmente determinadas. Tem, para além disso, a função de fiscalizar a atividade do Governo a da Administração do Estado, enquanto assegura o cumprimento da Constituição Portuguesa.

Ao votar, o eleitor não consegue escolher diretamente o(s) deputado(s) a ocupar lugar na Assembleia da República pelo seu Círculo Eleitoral. Votará em listas, apresentadas por partidos, coligações e movimentos cívicos.

Uma vez eleitos os 230 deputados para a próxima legislatura, o Presidente da República irá formar governo com quem melhor garanta ter apoio parlamentar para poder governar o País com estabilidade, nomeando o Primeiro-Ministro.

O Círculo Eleitoral de Aveiro

No Círculo Eleitoral de Aveiro, aquele para cujas listas votamos no Concelho de Ovar, concorrem 17 alternativas às Eleições Legislativas deste ano. Os eleitos representarão a região no Parlamento, independentemente de saírem ou não vitoriosos no sufrágio, de acordo com a percentagem de votos obtidos:

  1. Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP)
    Cabeça de Lista: João Manuel Valente Pinto

  2. Partido Social Democrata (PPD/PSD)
    Cabeça de Lista: António Topa Gomes
    Ovarenses na lista: Carla Madureira e Tiago Palha

  3. CDS-Partido Popular (CDS-PP)
    Cabeça de Lista: Martim Borges de Freitas
    Ovarenses na lista: Fernando Camelo de Almeida

  4. Ergue-te (E)
    Cabeça de Lista: Anselmo Filipe Oliveira
    Ovarenses na lista: Rui Fardilha

  5. Movimento Alternativa Socialista (MAS)
    Cabeça de Lista: Daniel Pereira Martins

  6. Livre (L)
    Cabeça de Lista: Joana Filipe

  7. Alternativa Democrática Nacional (ADN)
    Cabeça de Lista: Bárbara Barbosa dos Santos

  8. Bloco de Esquerda (B.E.)
    Cabeça de Lista: Moisés Ferreira
    Ovarenses na lista: Bibiana Leite Pinho

  9. CDU – Coligação Democrática Unitária (PCP-PEV)
    Cabeça de Lista: Adelino Nunes Pereira
    Ovarenses na lista: Juliana Silva

  10. Reagir Incluir Reciclar (R.I.R.)
    Cabeça de Lista: Alcino dos Santos Ferreira

  11. Partido Socialista (PS)
    Cabeça de Lista: Pedro Nuno Santos
    Ovarenses na lista: Marisa Isabel Couto

  12. Volt Portugal (VP)
    Cabeça de Lista: André Miguel Ferreira

  13. Chega (CH)
    Cabeça de Lista: Jorge Valsassina Rodrigues
    Ovarenses na lista: Marco Pinho Almeida

  14. Juntos Pelo Povo (JPP)
    Cabeça de Lista: Bruno Graciano Pestana

  15. Iniciativa Liberal (IL)
    Cabeça de Lista: Cristiano Oliveira Santos

  16. Pessoas – Animais – Natureza (PAN)
    Cabeça de Lista: Rui Alvarenga

  17. Partido da Terra (MPT)
    Cabeça de Lista: Isabel Diniz Barros

Pode também ficar a conhecer os nomes de todos os candidatos das várias listas, acedendo ao ficheiro “Listas Admitidas do Círculo Eleitoral de Aveiro – Eleições Legislativas 2022“.

No sufrágio que se aproxima, no Círculo Eleitoral de Aveiro, o Boletim de Voto que lhe será entregue será o seguinte:

Caso anteveja que a 30 de janeiro vai estar impedido de concretizar o seu ato eleitoral, é possível antecipar esse direito para o dia 23, através do regime “Mobilidade”, que exige uma inscrição prévia.


Relacionado:


Há inclusivamente várias situações previstas (residência em lares, confinamento, internamento em hospitais, prisão, etc.), em que os cidadãos se podem inscrever para votar antecipadamente, sem se deslocarem. Nesses casos, há dias já anunciados para que as urnas de voto se desloquem até essas pessoas, com técnicos a recolher esses boletins de voto, os quais contarão de igual forma para o resultado final das eleições.


Foto: Direitos Reservados
Texto: Irina Silva

Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*