SV Pereira empurra Furadouro para fora da Taça PECOL em tarde inspirada de Nélson

Por em 26/10/2017

Dérbi vareiro no campo Dr. Oliveira Santos, a contar para a 2ª eliminatória da Taça PECOL, da Associação de Futebol de Aveiro, e que acabou com a ARC S. Vicente Pereira a passar à fase seguinte. Já o CD Furadouro, terminou a sua participação na prova apesar de ter nivelado a exibição com um adversário que participa num escalão competitivo superior.

O resultado final acabou por ser um folgado 3-0, não traduzindo na perfeição a diferença entre ambas as equipas no jogo do último domingo. Antes de avançarmos para a análise das incidências, estes foram os onzes iniciais:

O Professor Adriano Machado, treinador dos anfitriões, fez várias alterações para o confronto da taça. Alinhou de início na baliza com Cláudio; na defesa com Fonseca, Xavi, Paivinha e Cláudio; no meio-campo com Litos, Fábio Costa e Nélson; e mais à frente com Joca, Jota e Vasco Godinho numa posição central.

Quanto ao Furadouro, Miguel Sousa fez actuar de início Paulinho na baliza; Resende, Kikas, Teixeira e Dário no sector defensivo; Camião, Maganinho e Rolas no miolo; e Fábio Gomes, Ruizinho e Tiago Marques, no centro do ataque.

Uma primeira parte bem disputada, viu alguns apontamentos interessantes de parte a parte.

Logo nos primeiros 10’, Fábio Costa assistiu um golo certo a ser-lhe negado, sobre a linha de golo, pelas costas de um defensor do Furadouro. Paulinho estava batido neste lance e pouco mais fez do que seguir a bola com os olhos.

Pouco tempo depois, o mesmo Fábio, ainda introduziu a bola dentro da baliza, mas o golo foi anulado por fora-de-jogo do centro campista.

Após estes dois sustos iniciais, os forasteiros começaram a exibir as suas “garras”, explorando bem o espaço nas costas dos vicentinos. Ruizinho, o maior protagonista desta reacção, furou em velocidade pelo corredor direito em 2 ocasiões distintas, ao corresponder a excelentes passes de ruptura. O certo foi que, na hora de decidir, acabou por não escolher o melhor critério. Numa dessas jogadas, teve tudo para prosseguir em velocidade e rematar cruzado à baliza, mas preferiu, precipitadamente, o passe para o segundo poste, onde aparecia Tiago Marques, apenas para o ver desviado por Paivinha, que se esticou todo para o corte.

Decorridos 34’ no primeiro tempo, Nélson começou a ser uma peça mais influente no jogo. Num lance individual de Jota, em progressão rápida pelo lado esquerdo do ataque, Nélson finalizou o cruzamento com um remate ao poste esquerdo da baliza defendida por Paulinho. Antes de embater no ferro, o tiro ainda foi desviado nas pernas de um dos elementos da defesa.

Depois dos vários avisos, aos 38’ o SVP acabou por chegar ao primeiro golo fortuitamente. Num lance individual, Nélson enrolou-se por completo no meio de 2 adversários no lado esquerdo da área, e cruzou também enrolado na direcção de Teixeira, central dos visitantes, que desviou negligentemente para a própria baliza. Paulinho, que não contava com o desvio, acabou mesmo por ver a bola a entrar na sua baliza, assistindo pregado ao chão.

Depois do golo, as equipas entraram em gestão de esforço e pouco mais aconteceu até ao apito para o descanso.

Ao intervalo, o Professor Adriano corrigiu no balneário algumas movimentações e apostou em entregar a maior iniciativa ao adversário, explorando as transições rápidas nas costas da linha defensiva.

Esta mudança estratégica, cedo deu frutos, e, após uma primeira ameaça por Vasco Godinho, a formação vicentina acaba mesmo por chegar ao segundo tento, logo aos 56’, por intermédio de Nélson. A jogada iniciou-se a partir de um lançamento lateral com a bola a ser pontapeada de primeira para a frente do médio polivalente, e este galgou 20 metros em corrida pelo lado esquerdo e rematou cruzado para o fundo da baliza de Paulinho. Estava feito o 2-0, que trouxe uma maior tranquilidade ao S. Vicente.

Sem tirar o pé do acelerador, foi logo passados três minutos que os visitados chegaram à vantagem de 3 bolas.  Novamente Nélson, no meio de vários adversários a disputar pela posse da bola, acabou por picar por cima dos defesas para a frente de Joca que, arrancou com uma seta em direcção à baliza opositora. Paulinho, atento ao lance, saiu bem aos pés de Joca, impedindo a finalização do avançado, só que o esférico sobrou para Vasco Godinho que, com enorme frieza e a baliza desprotegida, driblou o último elemento do Furadouro, e foi junto da linha do golo encostar para dentro das redes.

Foi uma entrada a frio por parte do Furadouro, que ainda por cima, viu Paulinho a ter de ser substituído, por lesão no lance do terceiro golo, pelo seu suplente, Arthur.

Com uma desvantagem considerável, o Furadouro teve uma atitude exemplar em campo e nunca baixou os braços. Reagiu forte à adversidade e até ao término do jogo ainda criou alguns lances de perigo. Num livre directo, chegou a testar a atenção do guardião Cláudio, e Fábio Gomes viu inclusive o mesmo Cláudio a negar-lhe, a punho, um remate cruzado com efeito, já dentro da área.

Apesar de um período de maior gestão do S.V.Pereira, aos 84’ ainda foram os anfitriões a ter a melhor oportunidade no segundo tempo, descontando os golos. Ferreira, que substitui Jota, depois de um mau alívio da defesa, após pontapé de canto do lado esquerdo, ainda se esticou para o desvio que embateu no poste direito, com o guardião Arthur a tocar ao de leve no esférico.

Helder Ferreira foi o repórter da AVfm no local. Ouça as declarações dos técnicos:

Adriano Machado – Treinador do SV Pereira

 

Miguel Sousa – Treinador do CD Furadouro

 

O terceiro qualificado da I divisão distrital (segundo escalão da Associação de Futebol de Aveiro), qualificou-se para a 3ª eliminatória da prova, enquanto os visitantes terminaram a sua participação na competição.

O jogo acabou por premiar os vicentinos pelas maiores oportunidades, apesar de não traduzir na perfeição a excelente réplica que os visitantes deram na maior parte do tempo.

Por último, ainda há a destacar a exibição clarividente de Rolas no meio-campo do CD Furadouro, que deu grande dinâmica ao jogo, e a destacar Nélson, pelo lado da ARCSVP, que esteve nos três golos da sua equipa e iniciou muitas vezes o processo de construção ofensiva, sendo a grande figura desta partida.

No próximo fim-de-semana o S. Vicente Pereira desloca-se a casa do Paços de Brandão para disputar a 6ª jornada do seu campeonato. Já o Furadouro recebe o São Roque para a 4ª jornada da última divisão da AFA.

Veja a fotogaleria:

 


 

Foto: António Silva
Texto: Helder Ferreira

Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST