Saldo positivo no arranque do futebol vareiro

Por em 21/09/2017

O futebol espetáculo está de regresso a Ovar. E, no passado fim-de-semana, todos os emblemas do concelho entraram em ação divididos em 4 competições diferentes: Campeonato Safina, 1º Divisão Distrital de Aveiro, Taça de Aveiro PECOL e Campeonato de Promoção Feminino.

Apesar das sortes dos clubes ovarenses ter sido bastante variada, o saldo geral é positivo e nos 6 jogos de equipas seniores disputados entre sábado e domingo, registaram-se 4 vitórias e apenas duas derrotas para os clubes vareiros.

A primeira formação a entrar em campo foi a Ovarense e logo no seu reduto, o Estádio Marques da Silva. A contar para a 1ª jornada do Campeonato Safina, a equipa sénior masculina da ADO não conseguiu ter arte nem engenho para se superiorizar ao SC S. João de Ver, perdendo por 1-0. O único tento da partida foi apontado por Yorn, no segundo tempo e, apesar dos esforços redobrados, os alvi-negros não conseguiram encontrar o caminho do empate. Ainda assim, os pupilos de Artur Marques deixaram boas indicações e mostraram ser competitivos, algo que certamente lhes trará sucessos em 2017/18.

Ainda dentro do contexto do Campeonato Safina, o Esmoriz também foi a jogo, um dia depois. Ao 2º encontro oficial e perante o Carregosense, Narciso Ratinho estreou Fábio Gonçalves e Kalunga e o SCE conseguiu repetir o resultado que tinha alcançado na eliminatória da Taça de Portugal frente ao Tocha: 2-1. Os golos esmorizenses foram apontados por João Alves e João Dias (já tinha marcado na “Prova Raínha”) e, pelo meio, o Carregosense ainda conseguiu faturar graças a um remate certeiro do luso-guineense Caçamá.  Assim, os dois emblemas primodivisionários do concelho já estão separados por 3 pontos no campeonato.

Quem também arrancou com o pé direito foi o ARC S. Vicente Pereira. Em casa, contra a Juve Force, os vicentinos conseguiram manter as suas redes intactas e festejaram dois golos que lhes deram o triunfo. Pacheco e Manu são caras ambientadas à dinâmica da equipa (ambos faziam parte do plantel da época passada) e começaram o campeonato em grande. Foram eles os autores dos golos no Campo Dr. Oliveira Santos.

No que diz respeito à Taça de Aveiro PECOL, Esmoriz, Ovarense e S. Vicente Pereira estavam isentos da 1º ronda. Algo que não acontecia com os emblemas do CCR Válega e do CD Furadouro. Por isso, ambos os conjuntos tiveram de enfrentar um adversário do mesmo escalão e, curiosamente, quis o sorteio que ambos jogassem fora.

O Furadouro não teve dificuldade em eliminar o Rocas do Vouga, em Sever do Vouga. Depois de ter deixado boas indicações frente à Ovarense no jogo de apresentação aos sócios realizado na semana passada, a equipa da praia chegou ao intervalo com uma vantagem de 3-2 mas, no segundo tempo, ampliou os números para um rotundo 5-2. Mesmo tendo ainda aspectos defensivos a limar, os golos de Simão, Ruizinho, Ratinho, Tiago Marques e Ruben Vaz dão alento para os desafios que se seguem.

Quem não conseguiu seguir em frente foi mesmo o Válega. Os do Sargaçal controlaram toda a partida contra o Fermedo e geriram com pinças uma vantagem magra de 1-0 alcançada por Sérgio, ainda no primeiro tempo. Mas o empate chegaria ao cair do pano, mais precisamente aos 94 minutos. E, fechado o tempo regulamentar, a decisão ficaria para a marca dos 11 metros.

Na marcação das grandes penalidades, o Fermedo foi mais feliz ao converter três castigos máximos contra os dois do CCRV. O Válega cai de forma inglória e espera-se que o abalo não comprometa a boa forma com que a equipa se apresentou no jogo de Arouca.

Por fim, as séniores femininas da Ovarense e o seu novo assalto à subida ao escalão maior do futebol português. Na primeira batalha no Campeonato de Promoção, Paulo Campino viu a sua equipa ter tarefa complicada em Cucujães mas a sair por cima graças a um 2-1 construído com golos de Rute Silva e Cristiana. Um começo positivo e que premiou a avançado Rute Silva: não só voltou a vestir a camisola do seu clube depois do caso do qual foi protagonista aquando da sua saída do Albergaria para a ADO, como foi capaz de entrar a fazer o que um avançado faz melhor, marcar golos.

Em conclusão, os adeptos da bola podem finalmente tirar a barriga de misérias. Foram alguns meses sem a emoção dos relvados, os cânticos nas bancadas e as alegrias do desporto rei. Mas, agora, a receita repetir-se-á semana após semana. A questão que paira no ar para os clubes do nosso concelho e simples – será possível repetir os feitos e glória alcançados na temporada passada? Só o futuro dirá, mas pode dizer-se que a julgar pelos últimos anos, o futebol de Ovar está bem e recomenda-se. O caminho é longo mas quando trata de futebol tudo pode acontecer.

 


Foto: Pexels
Texto: Pedro Silva


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST