Macedenses sem futsal para um Ossela (muito pouco) B

Por em 04/12/2019

O futsal do CCR Maceda continua na mó de baixo. No ano de estreia na II Divisão Distrital de futsal, a turma amarela e azul até teve um início de campeonato fulgurante, mas tem perdido estatuto nas últimas semanas. No passado sábado, numa receção ao GCR Ossela B a contar para a 9ª jornada da prova, o CCR Maceda averbou a sua quarta derrota consecutiva, saindo da quadra derrubado com um 5-8 a favor dos visitantes.

Na retina fica uma excelente exibição dos homens de Oliveira de Azeméis. O Ossela B, orientado por José Maria Silva, partiu para o jogo com reforços da equipa principal – que milita na II Divisão Nacional – e o incremento de qualidade em campo foi notório e difícil de acompanhar pelos macedenses.

Ângelo Henriques e Rafael Gonçalves até deram esperança à composta (e efusiva) massa associativa que se deslocou ao Pavilhão Gimnodesportivo. O Maceda começou bem a partida com um tento do capitão (2′) e, mesmo tendo concedido o empate pouco depois, não baixou os braços e viu Rafael Gonçalves (7′) repor a vantagem com uma jogada individual pela direita e um remate pleno de oportunidade.

No entanto, cedo se percebeu que as despesas da posse de bola e domínio territorial iriam pertencer ao Ossela B. Com circulação rápida, jogadas rendilhadas e alguns pormenores técnicos de grande nota artística, a cambalhota no marcador deu-se ainda na primeira parte, com mais 3 golos apontados pelos visitantes.

Pelo meio, o Maceda ia respondendo com as armas que tinha. A verdade é que, mesmo que com um estilo de futsal mais “distrital”, a equipa chegou a obrigar o guardião Tiago Almeida a algumas intervenções de grande qualidade. E, quando não era o jovem de 21 anos a parar as tentativas dos locais, era a falta de pontaria – e até os postes – a travar os comandados de José Correia.

Ao intervalo, o 2-4 ainda deixava antever uma reação do CCR Maceda para os 20 minutos da etapa complementar. Mas o Ossela B voltou dos balneários com baterias recarregadas e determinado em colocar um ponto final na partida.

Lançado para a baliza na segunda parte, Emanuel Oliveira rapidamente se evidenciou como um enorme destaque para o Maceda. Em detrimento de André Viana (que tinha jogado o primeiro tempo), o miúdo de 19 anos foi gigante e efetuou algumas paradas que roçaram o milagre.

Ainda assim, e com tanto caudal ofensivo, era inevitável o 2-5, que chegou pelos pés de Serginho. Aproveitando um cartão vermelho atribuído a Edgar Cardoso e uma vantagem numérica que daí adveio, o jogador do Ossela B chegou à zona de tiro e desfeiteou Emanuel Oliveira – que ainda tocou no esférico antes de este entrar.

Foi preciso um time-out, a 12 minutos do fim do encontro, para que o Maceda se reencontrasse com o seu objetivo. José Correia esquematizou a tarefa ofensiva dos anfitriões e, em campo, Rafael Gonçalves soube interpretar a tática à letra: o camisola 2 chegou ao bis aos 39′ da partida e relançou a discussão dos pontos.

Com um apoio fervoroso dos Ultra, os macedenses mostravam a sua melhor cara em toda a partida e colocavam o Ossela B em reais dificuldades. Não foi preciso esperar muito para que Alexandre Silva também fizesse o gosto ao pé, a passe de Rafael Gonçalves e numa jogada rápida começada em Emanuel Oliveira (acabado de fazer mais uma defesa estonteante). Com o 4-5 no placard, tudo podia ainda acontecer.

O problema é que, mesmo estando em dificuldades no seu último reduto, o Ossela B não baixava o nível do futsal quando chegava à zona de tiro. Em transição rápida, os visitantes chegaram ao sexto golo por intermédio de Camboa e obrigaram o Maceda, na entrada para os 5 minutos finais, a avançar para uma situação de guarda-redes avançado.

Com Rafael Gonçalves a vestir a pele de guardião, o cinco para quatro do Maceda esteve abaixo das expetativas e não gerou grande perigo à baliza do Ossela B. Os visitantes recuperaram várias bolas e até ganharam dois livres de 10 metros antes de, finalmente, os locais reduzirem (5-6) a desvantagem por Ângelo Henriques.

Só que a noite era mesmo para o conjunto de Oliveira de Azeméis. Bastaram alguns segundos para que Paulinho marcasse o 5-7 e quebrasse as hipóteses do Maceda ainda chegar aos pontos. O jogo fecharia mesmo com o oitavo do Ossela B, num remate de baliza a baliza quando o Maceda jogava novamente com cinco jogadores ao ataque.

No rescaldo da partida, José Correia admitiu que a sua equipa sentiu dificuldades para travar a capacidade de um Ossela (muito pouco) B. O técnico dos amarelos e azuis apelou ainda aos adeptos para que continuem a acreditar na força do CCRM.

Ouça as declarações dos intervenientes, em entrevista conduzida por Pedro Silva, repórter da Rádio AVfm.

CCR Maceda | José Correia
Declarações GCR Ossela B | Lara

Com mais um desaire no campeonato, o Maceda viu-se ultrapassado na classificação pelo AC Luso e igualado pelo Ossela B. Ocupando agora o 11º lugar da classificação, é necessário virar esforços para a próxima jornada que traz uma deslocação a Arada para aquele que será o primeiro dérbi concelhio de sempre no futsal distrital.

Menções honrosas para Rafael Gonçalves e Ângelo Henriques que, apesar das derrotas dos últimos embates, têm evidenciado muito bons pormenores e vários golos para as suas contas pessoais.

Já Emanuel Oliveira, o destaque improvável do jogo contra o Ossela B, pode também ser uma boa dor de cabeça para José Correia. O jovem guardião ganhou pontos a André Viana e José Sampaio e perfila-se como uma excelente opção para assumir a baliza de um Maceda que, recorde-se, tem um registo de golos sofridos muito negativo.

Por fim, há ainda a notícia do provável regresso de Nelson Pinto às contas do CCR Maceda. O camisola 9 não pôde dar o seu contributo por ter sido expulso na 7ª jornada, mas espera-se que reentre com vontade de recuperar o tempo perdido e apresentar a forma que lhe valeu vários golos no arranque de temporada.


Fotos: Direitos Reservados
Texto: Pedro Silva
Áudio: Jaime Valente


Opinião dos leitores

Deixa um comentário

O teu e-mail não será divulgado. Obrigatório*


AVfm

Rádio global de âmbito local

A passar agora
TITLE
ARTIST